“As casas vão aparecer. Não houve fuga dos investidores”, afirma diretor da JLL

Pedro Lancastre assume que o mercado imobiliário tem reagido bem à pandemia do novo coronavírus, com o segmento residencial e logístico a serem aqueles que mais vantagens têm tirado.

Pedro Lancastre mostra-se confiante no futuro do mercado imobiliário apesar da situação pandémica que se vive por tudo o mundo com o novo coronavírus. O diretor da consultora JLL abordou o setor à margem da apresentação do estudo ‘Multifamily – A market on the rise‘, divulgado pela empresa esta terça-feira, 20 de outubro.

“O mercado reagiu de forma positiva mesmo com a pandemia. As casas vão aparecer. Não houve fuga dos investidores”, referiu, acrescentando, que em comparação com outros setores da sociedade, o imobiliário foi um dos que teve uma maior rentabilidade média.

De resto, e dando exemplos do que se passa no resto do mundo, o responsável da JLL destacou os Estados Unidos, onde o preço das habitações continuou a aumentar apesar dos efeitos causados pela pandemia.

Os segmentos residencial e de logística são aqueles que mais vantagens têm tirado apesar do cenário difícil, com o surgimento de novos projetos de habitação e plataformas de logística. Por outro lado, o responsável frisou que “o retalho gera mais desconfiança”, até pelo afastamento que a população tem tido dos centros comerciais.

Por seu turno, os escritórios têm adotado uma postura de “olhar para os custos” de permanecerem ou não em atividade devido ao surgimento do teletrabalho, mas Pedro Lancastre acredita que vão continuar a surgir novos projetos neste segmento.

“Muitas pessoas desejam voltar ao seu local de trabalho”. “Nos próximos seis meses já poderemos ter uma ideia mais clara sobre o que o mercado nos reserva”, afirmou.

Recomendadas
Claude Berda e José Cardoso Botelho da Vanguard Properties

Claude Berda da Vanguard Properties já tem nacionalidade portuguesa

Segundo um comunicado Claude Berda foi notificado pela Conservatória dos Registos Centrais da conclusão do processo de nacionalização, “com sucesso”.

PremiumFundo da Sonae Capital vende Porto Palácio Hotel por 62,5 milhões de euros

Carteira vendida por fundo gerido pela Sonae Capital integra três edifícios, na zona da Avenida da Boavista, no Porto, com cerca de 48 mil metros quadrados de área. Grupo continua a gerir o hotel.

Investimento imobiliário em Portugal registou quebra de 70% no primeiro semestre

Dos 530 milhões investidos durante a primeira metade do ano, 40% destinaram-se ao segmento de escritórios (210 milhões de euros), 31% para imóveis residenciais de arrendamento (165 milhões de euros) e 14% para retalho (75 milhões de euros).
Comentários