PremiumAs virtudes do direito à greve

A única acção que se deve regular por um critério de proporcionalidade é a definição de serviços mínimos. E essa definição cabe ao Governo, com o maior tacto possível, garantindo os serviços mínimos, sem com isso minimizar o impacto que se espera de uma greve a ponto de constituir um boicote.

Vamos de férias com receio de que uma greve, de um pequeno grupo profissional, nos cause o maior dos transtornos, a todos nós, que nada temos que ver com o motivo da acção. Por causa de umas centenas, se tanto, são milhões que poderão ver arruinado o seu inegável direito ao descanso. Há quem diga que isto da greve devia ser regulamentado, que nem tudo é aceitável, é um poder desproporcionado, mas ouvindo e lendo o que se diz nesse sentido era bom não permitir que a irritação motivada pelo desconforto desta greve dê azo às razões erradas.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumAjustes na legislação laboral para teletrabalho

A crise de saúde pública trouxe a necessidade de novas formas e organização de trabalho, em que a imposição do teletrabalho foi a mais notória.

PremiumStanley Ho: Magnata do jogo dava cartas em tudo aquilo em que se metia

Milionário que nasceu em Hong Kong e fez renascer Macau sabia tudo o que era preciso para fazer fortuna numa zona em constante mutação. Stanley Ho passou por todos os regimes, por todos os amigos e por todos os negócios sem encalhar em nenhum. Reformou-se em 2018, com 96 anos.

PremiumReeleição de Donald Trump começa a estar claramente posta em causa

À medida que novembro se aproxima, as expectativas de um segundo mandato do atual presidente esbarram na forma comoa Casa Branca lidou com a pandemia, mas sobretudo na incapacidade de relançar a economia no caminho do crescimento.
Comentários