Assunção Cristas elege agricultura e água como prioridades do CDS

A democrata-cristã falou na Calheta sobre as propostas do CDS para o país e para a Região Autónoma da Madeira.

Cristina Bernardo

Na rentrée política na Madeira a líder do CDS-PP, Assunção Cristas, elegeu os temas da agricultura e da água como prioridades do partido, dadas as ameaças do clima. A água “porque temos de ter uma adaptação às alterações climáticas e temos que reservar a água, temos de a guardar, temos que fazer investimento, temos que a usar de forma eficiente, seja no campo, seja na cidade”.

Assunção Cristas, no seu apelo ao voto, sublinhou que faz sentido haver força de centro e de direita no espaço político. Neste sentido, a centrista repete a promessa de baixar 15% o IRS, colocar o IRC ao nível da Irlanda e libertar a economia de obstáculos para que possa “crescer melhor”.

“Faz sentido ajudar ao investimento privado, faz sentido dar condições às famílias para que elas possam crescer, faz sentido dar condições aos jovens para que possam trabalhar entre nós e possam ter uma formação profissional adequada aos empregos que são necessários e que eles querem ter”, continuou a democrata-cristã.

A líder do CDS disse ainda que é preciso olhar para o território como o grande ativo do país e para o país como um país seguro, fiável, onde a justiça funciona e onde não há corrupção.

Recomendadas

Madeira: Olavo Câmara quer solução para garantir escoamento dos produtos e mais rendimentos para os agricultores

O deputado constata que este ano o problema é ainda mais grave e que os agricultores também são vítimas indiretas da diminuição do turismo na Região, já que, com os restaurantes e hotéis fechados ou no seu mínimo, cada vez é mais difícil escoar os produtos e a preços justos.

Miguel Albuquerque prevê testagens à Covid-19 nos mercados europeus

No entanto, Miguel Albuquerque realçou que a prioridade do Executivo regional passa por aumentar a capacidade de testagem em Lisboa e no Porto.

Funchal cria viveiro de lojas para incentivar à abertura de novos negócios

O que se pretende é que após a incubação dos seis meses os empreendedores, a sós ou em parceria, abram as portas dos seus negócios.
Comentários