Assunção Cristas elege agricultura e água como prioridades do CDS

A democrata-cristã falou na Calheta sobre as propostas do CDS para o país e para a Região Autónoma da Madeira.

Cristina Bernardo

Na rentrée política na Madeira a líder do CDS-PP, Assunção Cristas, elegeu os temas da agricultura e da água como prioridades do partido, dadas as ameaças do clima. A água “porque temos de ter uma adaptação às alterações climáticas e temos que reservar a água, temos de a guardar, temos que fazer investimento, temos que a usar de forma eficiente, seja no campo, seja na cidade”.

Assunção Cristas, no seu apelo ao voto, sublinhou que faz sentido haver força de centro e de direita no espaço político. Neste sentido, a centrista repete a promessa de baixar 15% o IRS, colocar o IRC ao nível da Irlanda e libertar a economia de obstáculos para que possa “crescer melhor”.

“Faz sentido ajudar ao investimento privado, faz sentido dar condições às famílias para que elas possam crescer, faz sentido dar condições aos jovens para que possam trabalhar entre nós e possam ter uma formação profissional adequada aos empregos que são necessários e que eles querem ter”, continuou a democrata-cristã.

A líder do CDS disse ainda que é preciso olhar para o território como o grande ativo do país e para o país como um país seguro, fiável, onde a justiça funciona e onde não há corrupção.

Recomendadas

Funchal lança APP do Município na Semana da Mobilidade

No dia 21 de setembro, às 9h vai ser dado o tiro de partida da I Bike Paper do Funchal, na Praça do Município, uma prova organizada em parceria com a Europe Direct Madeira e a Associação de Ciclismo da Madeira.

Madeira: Cinema português em destaque na segunda edição do Festival Filmes no Terraço

Antes de iniciar cada sessão do Made In Portugal, vai haver duas curtas-metragens de vídeo-dança de artistas estrangeiros.

Jorge Figueira é candidato a presidente da seção regional da Madeira da Ordem dos Enfermeiros

“Não me lembro em 25 anos de profissão de ter visto outro bastonário ser tão proativo e intransigente na defesa da liberdade de imprensa, do direito de opinião e do pluralismo dos enfermeiros”, disse Jorge Figueira sobre a Ana Rita Cavaco.
Comentários