Assunção Cristas elege agricultura e água como prioridades do CDS

A democrata-cristã falou na Calheta sobre as propostas do CDS para o país e para a Região Autónoma da Madeira.

Cristina Bernardo

Na rentrée política na Madeira a líder do CDS-PP, Assunção Cristas, elegeu os temas da agricultura e da água como prioridades do partido, dadas as ameaças do clima. A água “porque temos de ter uma adaptação às alterações climáticas e temos que reservar a água, temos de a guardar, temos que fazer investimento, temos que a usar de forma eficiente, seja no campo, seja na cidade”.

Assunção Cristas, no seu apelo ao voto, sublinhou que faz sentido haver força de centro e de direita no espaço político. Neste sentido, a centrista repete a promessa de baixar 15% o IRS, colocar o IRC ao nível da Irlanda e libertar a economia de obstáculos para que possa “crescer melhor”.

“Faz sentido ajudar ao investimento privado, faz sentido dar condições às famílias para que elas possam crescer, faz sentido dar condições aos jovens para que possam trabalhar entre nós e possam ter uma formação profissional adequada aos empregos que são necessários e que eles querem ter”, continuou a democrata-cristã.

A líder do CDS disse ainda que é preciso olhar para o território como o grande ativo do país e para o país como um país seguro, fiável, onde a justiça funciona e onde não há corrupção.

Recomendadas

Madeira tem de encontrar novas experiências e segmentos no turismo

Durante a conferência da APAVT o consultor da EY, Augusto Mateus, defendeu que a madeira é “muito competente” em determinado tipo de turismo, mas que “isso não é suficiente” para a missão da Madeira.

Força de trabalho na Madeira com mais pessoas e melhor remunerados

O salário médio na Madeira atingiu mil euros e 78 cêntimos, mais 1,4%, face ao período homólogo, sendo que as empresas com maior dimensão foram as que melhor pagavam. 81% estavam afetos ao sector terciário.

JPP quer redução de impostos para desenvolvimento da economia e empregabilidade

O partido apelou a que o executivo madeirense seja menos despesista e por essa via alivie as empresas e famílias de modo a que se gere mais poupança, se dinamize a economia e se crie emprego.
Comentários