Ataque em Las Vegas faz 58 mortos

Um homem de 64 anos disparou sobre a multidão que assistia a um festival nas imediações de um casino em Las Vegas, causando a morte a 20 pessoas e ferindo mais de 100. A polícia já abateu o responsável.

Pelo menos 58 pessoas morreram e 515 ficaram feridas quando, no domingo à noite, um atirador abriu fogo sobre a multidão que assistia a um festival de música country em Las Vegas, nas imediações de um casino, adianta a Lusa.

O xerife local, Joe Lombardo, confirmou, em conferência de imprensa, que o autor dos disparos – um habitante local – já havia sido abatido e que as forças policiais estão atualmente à procura da sua companheira. Entre as vítimas mortais estão dois agentes da polícia, que se encontravam de folga, estando outros dois entre os feridos, um em estado grave e outro com ferimentos ligeiros, de acordo com a CNN.

Na mesma conferência de imprensa, o xerife Joe Lombardo afirmou que o atirador, cujo nome não será, para já, revelado, estava no 32.º andar do Mandalay Bay Casino and Resort, de onde disparou uma arma automática sobre a multidão. Foi aí que a polícia o confrontou e abateu. Lombardo afirma que o homem, de 64 anos, se trata de um atirador solitário.

https://twitter.com/StanM3/status/914779288578265089

A polícia entretanto bloqueou o trânsito no centro da cidade e alguns voos do aeroporto internacional McCarran estão a ser desviados para outros destinos. Atualmente está à procura de dois veículos que acredita estarem ligados ao ataque.

[Notícia atualizada às 16:49 com novo número de vítimas]

Ler mais
Recomendadas

Angela Merkel apela à luta contra antissemitismo no 75º aniversário da libertação de Auschwitz

A chanceler alemã, Angela Merkel, sustentou hoje, 75º aniversário da libertação do campo de concentração de Auschwitz, que a Alemanha tem a responsabilidade de garantir que “todos se sintam seguros” no seu território, e apelou à luta contra o antissemitismo.

Coronavírus faz a primeira vítima mortal em Pequim

A primeira vítima mortal de Pequim era um homem de 50 anos que visitou Wuhan a 8 de janeiro e desenvolveu sintomas febris posteriormente a retornar a Pequim, cerca de sete dias depois, divulgou a comissão da saúde da capital chinesa.

Coronavírus: Embaixada de Portugal em Pequim prepara-se para retirar cidadãos portugueses

Portugal não é exemplo único na Europa já que também países como Espanha e França estão em contacto com as autoridades chinesas a discutir as possíveis soluções para transportar os seus cidadãos aos respetivos países de origem.
Comentários