Ataque em Las Vegas faz 58 mortos

Um homem de 64 anos disparou sobre a multidão que assistia a um festival nas imediações de um casino em Las Vegas, causando a morte a 20 pessoas e ferindo mais de 100. A polícia já abateu o responsável.

Pelo menos 58 pessoas morreram e 515 ficaram feridas quando, no domingo à noite, um atirador abriu fogo sobre a multidão que assistia a um festival de música country em Las Vegas, nas imediações de um casino, adianta a Lusa.

O xerife local, Joe Lombardo, confirmou, em conferência de imprensa, que o autor dos disparos – um habitante local – já havia sido abatido e que as forças policiais estão atualmente à procura da sua companheira. Entre as vítimas mortais estão dois agentes da polícia, que se encontravam de folga, estando outros dois entre os feridos, um em estado grave e outro com ferimentos ligeiros, de acordo com a CNN.

Na mesma conferência de imprensa, o xerife Joe Lombardo afirmou que o atirador, cujo nome não será, para já, revelado, estava no 32.º andar do Mandalay Bay Casino and Resort, de onde disparou uma arma automática sobre a multidão. Foi aí que a polícia o confrontou e abateu. Lombardo afirma que o homem, de 64 anos, se trata de um atirador solitário.

https://twitter.com/StanM3/status/914779288578265089

A polícia entretanto bloqueou o trânsito no centro da cidade e alguns voos do aeroporto internacional McCarran estão a ser desviados para outros destinos. Atualmente está à procura de dois veículos que acredita estarem ligados ao ataque.

[Notícia atualizada às 16:49 com novo número de vítimas]

Ler mais
Recomendadas

Novo Presidente argentino quer agenda ambiciosa com o Brasil, para além da tensão com Jair Bolsonaro

O Presidente da Argentina, Alberto Fernández, destacou esta terça-feira no Brasil no seu discurso de posse no parlamento e pediu uma “agenda ambiciosa” apoiada pela história dos dois povos e não pela “diferença pessoal” com o seu homólogo brasileiro, Jair Bolsonaro.

Boris Johnson admite risco de falhar maioria absoluta nas eleições legislativas

Johnson aludiu às eleições de 2017, quando a antecessora Theresa May tinha uma vantagem nas sondagens mas acabou por não conseguir uma maioria de deputados na Câmara dos Comuns, precisando do apoio do Partido Democrata Unionista (DUP) da Irlanda do Norte para formar governo.

Boris Johnson recria cena da porta do filme “O amor acontece”. Hugh Grant já criticou vídeo

Na nova versão, o primeiro-ministro britânico pede o voto ao seu eleitorado para que o Reino Unido consiga avançar no processo do Brexit. Hugh Grant, que entrou no filme, já criticou o filme.
Comentários