Cibersegurança: até 2021 vão existir 3,5 milhões novas oportunidades de empregos

Revelação é feita através do estudo do Exclusive Group, uma empresa de tecnologias e serviços de valor acrescentado. Aumento significativo do cibercrime deverá custar 87 milhões de euros anuais até 2021.

As ameaças à cibersegurança estão a aumentar a procura por profissionais com competências e experiência na área. Um estudo da empresa de tecnologias e serviços Exclusive Groupcibercrime concluiu que até 2021 existirão 3,5 milhões de empregos por preencher na área da cibersegurança.

O Cybersecurity Jobs Report aponta que as empresas estão mais conscientes para os problemas de segurança e mais proativas neste domínio. No entanto, considera que o número de postos de trabalho nesta área não consegue acompanhar o aumento significativo do cibercrime, que deverá custar 87 milhões de euros anualmente até 2021.

O cibercrime irá mais do que triplicar as oportunidades de emprego na área da segurança, nos próximos cinco anos, segundo as estimativas da empresa. Apenas a nível europeu calculam que vá existir um défice de 350 mil trabalhadores até 2022.

Recomendadas

Projeto Sitestar promove literacia digital dos mais novos

Esta iniciativa promove, através da criação dos sites, aprendizagens relacionadas com o planeamento de projetos, o desenvolvimento do espírito de trabalho em equipa, a criação de conteúdos escritos e audiovisuais, o respeito pelos direitos de autor, incentiva e auxilia na invenção e implementação das ideias dos alunos, a adotarem um sentido critico que lhes permita navegar em segurança e com mais confiança na internet.

Neste natal, saiba o que fazer caso a sua compra online fique interdita na alfândega

A carta ao Pai Natal pode exigir que faça encomendas de artigos vindos de um país extracomunitário. Cumprir este desejo pode ser numa prova de esforço que implica conhecer a legislação, enfrentar burocracias e custos, e ainda lidar com a encomenda ficar retida na alfândega.

Não deixe as suas compras natalícias para a véspera

Quem compra por impulso arrepende-se mais, tentando depois a troca. Trocar um bem comprado numa loja física que está em perfeitas condições é uma cortesia do comerciante. A troca só é obrigatória se houver defeito. Não se esqueça de escolher cuidadosamente, de recolher toda a informação sobre o produto, de o experimentar, se for possível, e combinar a possibilidade de troca. Evitará conflitos.
Comentários