Atividade económica da Madeira cai 5,8% em abril. Recuo iguala junho de 2012

Em junho de 2012 a Madeira estava mergulhada numa série de constantes quebras na economia que se tinham iniciado em novembro de 2010. Queda de 5,8% na atividade económica da região em abril vem acompanhada de uma descida nas importações de 7% e uma quebra nas exportações de 19%.

A atividade económica da Madeira caiu 5,8% em abril, de acordo com os dados da Direção Regional de Estatística (DREM). É preciso recuar a junho de 2012 para encontrar uma contração da mesma grandeza, numa fase em que a região autónoma estava mergulhada numa série de constantes quebras na economia que se tinham iniciado em novembro de 2010.

O organismo de estatística regional explica que esta queda na atividade económica da Madeira se deve aos efeitos provocados pela pandemia do coronavírus covid-19. A DREM sublinha que o recuo observado em abril, leva em conta a média das variações observadas em fevereiro, março e abril.

Esta queda em abril vem na sequência de uma quebra já verificada no mês anterior quando a atividade económica regional desceu 0,5%, interrompendo uma série de crescimento que vinha desde junho de 2013.

Em abril as importações caíram 7,8% e as exportações recuaram pelo segundo mês consecutivo, atingindo os 19%.

Recomendadas

Conheça as regras para viajar com menores

Se os pais do menor estiverem divorciados ou separados judicialmente, a autorização para a saída do país tem de ser prestada pelo progenitor a quem o menor foi confiado e/ou com quem reside.

BPI patrocina 61.ª edição do Rali Vinho da Madeira

O RVM 2020 conta com o Troféu BPI que atribui um prémio monetário aos três pilotos mais rápidos inscritos neste troféu.

Covid-19: Governo dos Açores diz que quadro legal “precisa de ser aperfeiçoado”

O presidente dos Açores reagia a uma decisão do Tribunal Constitucional (TC) que decidiu que as autoridades açorianas violaram a constituição ao impor a quem chegasse à região uma quarentena obrigatória de 14 dias por causa da pandemia de covid-19.
Comentários