Atividade económica em Portugal abrandou na última semana e permanece abaixo do pré-pandemia

O indicador diário de atividade económica do Banco de Portugal abrandou na semana terminada a 10 de outubro e mantém-se abaixo da taxa bienal que inclui o cenário pré-pandémico.

A atividade económica em Portugal diminuiu na semana terminada a 10 de outubro, segundo os dados revelados pelo Banco de Portugal esta quinta-feira, que mostram um abrandamento do indicador correspondente em relação ao registado na semana anterior.

Tanto os valores para o indicador diário de atividade económica (DEI), como a média móvel semanal registaram diminuições na semana em análise, com o valor diário a chegar mesmo a números negativos no dia 10 de outubro, ou seja, o último domingo.

Ainda assim, a média para a semana encontra-se em 1,5, ou seja, em valores positivos, o que é coerente com uma expansão da atividade económica em relação ao ano anterior. Comparando com a situação pré-pandemia, o cenário é diferente, com o indicador a mostrar níveis abaixo da taxa bienal para este período, o que significa ainda uma economia a operar a um nível abaixo do registado em outubro de 2019.

Este indicador ganhou uma importância acrescida no contexto de pandemia e de rápidas e substanciais alterações à atividade diária, fruto das restrições e medidas de contenção Covid-19.

O DEI compila “diversas dimensões correlacionadas com a atividade económica em Portugal, sumariando a informação das seguintes variáveis diárias: tráfego rodoviário de veículos comerciais pesados nas autoestradas, consumo de eletricidade e de gás natural, carga e correio desembarcados nos aeroportos nacionais e compras efetuadas com cartões em Portugal por residentes e não residentes”, explica o Banco de Portugal.

Adicionalmente, e de forma a contornar os efeitos base decorrentes da comparação com períodos de atividade anormalmente baixa decorrentes dos confinamentos que o país viveu, o banco central estabelece uma comparação a uma taxa bienal que inclui o cenário pré-pandémico.

Recomendadas

Custos da indústria dispararam 10% em setembro

Um pouco à semelhança do resto do mundo, a indústria portuguesa tem experienciado fortes aumentos nos custos decorrentes das disrupções nas cadeias de fornecimento e logística e dos preços da energia.

“Squid Game” leva Netflix a ganhar 4,4 milhões de novos subscritores

A plataforma acrescenta que no terceiro trimestre de 2020 tinha adicionado 2,2 milhões de subscritores pagos. No total, a empresa terminou o trimestre de 2021 com um total de 214 milhões de subscritores a pagar pelo serviço.

Eurostat confirma taxa de inflação de setembro em máximos de 13 anos

A pressão inflacionária mantém-se na Europa, com a leitura para a inflação de setembro a revelar máximos que não se verificavam há 13 anos. Energia continua a ser a principal responsável pelo aumento de preços.
Comentários