Atividade empresarial da zona do euro cresce em julho ao ritmo mais rápido em dois anos

O PMI Composto final do IHS Markit divulgado nesta quarta-feira subiu a 54,9 em julho de 48,5 em junho, contrariando as previsões de 54,8. O índice permaneceu abaixo da marca de 50 que separa crescimento de contração por quatro meses.

A atividade empresarial europeia registou um crescimento modesto no final do segundo trimestre, tendo subido de 48,5 de junho para 54,9 em julho, segundo as estimativas do índice de gestores de compras (PMI, na sigla em inglês) do IHS Markit, divulgadas esta quarta-feira.

Os dados chegam numa altura em que foram divulgadas informações sobre as vendas a retalho no mesmo mês. Segundo o Eurostat, verificou-se uma subida de 5,7% na zona Europa e 5,2% na União Europeia, comparativamente ao mês de maio.

A procura geral aumentou e o otimismo melhorou, mas a nível empresarial as dificuldades continuam a sentir-se, nomeadamente com os cortes nos funcionários e os vários processos de reestruturação adotados para contornar uma crise que se aproxima. Em julho, o índice de emprego ficou abaixo do ponto de equilíbrio em 46,5 pontos, embora melhor do que a leitura de 43,2 de junho.

À medida que as restrições se levantavam, cada vez mais as pessoas se aventuravam em bares e restaurantes. Esta onda fez com que o PMI de serviços subisse de 54,3 para 54,7, o mais alto desde setembro de 2018, mas aquém das previsões de 55,1 dos analistas.

“A atividade comercial do setor de serviços da zona do euro recuperou em julho e cresceu a uma taxa não excedida há mais de dois anos”, analisou Chris Williamson, economista-chefe de negócios da IHS Markit.

“A França e a Alemanha tiveram ganhos especialmente fortes, embora também tenha sido registado um crescimento renovado na Espanha e na Itália, pois as medidas de contenção da Covid-19 continuaram relaxadas”, continuou.

Ler mais

Recomendadas

Remuneração base média sobe 3,3% na função pública para 1.533 euros em abril

Segundo os dados da Direção-Geral da Administração e do Emprego Público (DGAEP), “em abril de 2020, o valor da remuneração base média mensal dos trabalhadores a tempo completo no setor das administrações públicas situava-se em cerca de 1.532,7 euros”.

Número de funcionários públicos aumenta em mais de 15 mil no 2.º trimestre

De acordo com os dados da Direção-Geral da Administração e do Emprego Público (DGAEP), “a 30 de junho de 2020, o emprego no setor das administrações públicas situou-se em 705.212 postos de trabalho, assinalando um aumento de 2,2% face ao trimestre homólogo e 0,2% face ao trimestre anterior”.

PCP identifica seis cadeias de dependência externa que implicam “colonização económica e política”

Turismo, grande distribuição e a aposta no lítio e no hidrogénio não foram esquecidos na análise (muito crítica) que os comunistas fazem à economia portuguesa nas Teses que servirão de base ao XXI Congresso, que decorrerá entre 27 e 29 de novembro.
Comentários