Aumentam as zonas de risco nas grandes cidades da Alemanha, 3.483 novos casos

O número de áreas de risco ou de especial incidência do novo coronavírus na Alemanha aumentou nas últimas 24 horas em várias das grandes cidades do país, como Essen (oeste), Estugarda (sul) e Bremen (norte).

Alemanha | Getty Images

Segundo a agência EFE, já estavam identificadas como áreas de risco as cidades de Berlim, Frankfurt e Colónia.

De acordo com a norma do Instituto Robert Koch (RKI), são consideradas zonas de risco os locais onde são registadas 50 infeções por 100.000 habitantes em sete dias. A partir desse valor são adotadas medidas territoriais especiais.

A EFE refere que já há vários bairros de Berlim que atingiram esses valores no meio da semana, tendo a capital e cidade-estado, superado a média de 52 casos para essa contagem de habitantes a sete dias.

Nas últimas 24 horas, o RKI notificou 3.483 novos casos de Sars-coV-2 em todo o país e 11 mortes.

É uma descida em relação aos 4.700 casos de covid-19, com 15 mortes relatadas no sábado, o maior número desde o início de abril.

No entanto, essa diminuição é comum ao fim de semana, já que alguns estabelecimentos de saúde nos “Länder” – estados federados – só atualizam os seus dados na segunda-feira.

Dada a aceleração nos últimos dias, teme-se que sejam atingidas em breve 6.000 infeções diárias, valor que foi registado no pico da primeira onda da pandemia, no final de março.

Na sexta-feira, já se tinham verificado 4.500 novas infeções, depois de quinta-feira ter sido ultrapassado o patamar dos 4.000 novos contágios, enquanto na quarta-feira se registaram 2.800.

A chanceler alemã, Ângela Merkel, alertou na sexta-feira, após reunir com os autarcas dos 11 principais centros urbanos que é especialmente preocupante a situação nas cidades.

No total, desde o início da pandemia, a Alemanha, o país com maior peso demográfico da União Europeia – com 83,5 milhões de habitantes -, contabiliza 322.864 casos, 274.800 dos quais já recuperaram e 9.615 morreram.

Berlim, à semelhança de Frankfurt, determinou, no sábado à noite, o encerramento de bares e restaurantes, que devem manter-se fechados entre as 23:00 e as 06:00, horário em que a venda de bebidas alcoólicas e reuniões em grupos de mais de cinco pessoas estão proibidas.

A maioria dos municípios impôs ainda a proibição de pernoitar no seu território aos viajantes provenientes de zonas de risco.

A zona mais afetada pela pandemia e com o maior número de áreas de risco é a Renânia do Norte-Vestfália, onde se concentram muitos centros urbanos.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão e sessenta e nove mil mortos e perto de 37 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (214.305) e também com mais casos de infeção confirmados (mais de 7,7 milhões).

Na Europa, o maior número de vítimas mortais regista-se no Reino Unido (42.760 mortos, mais de 590 mil casos), seguindo-se Itália (36.140 mortos, mais de 349 mil casos), Espanha (32.929 mortos, mais de 861 mil casos) e França (32.684 mortos, mais de 718 mil casos).

Portugal contabiliza 2.062 mortos em 83.928 casos de infeção.

Ler mais
Recomendadas

Dia de Ação de Graças mobiliza um milhão nos EUA. Risco de contágio preocupa autoridades

Só nas últimas duas semanas, dois milhões de novos casos de Covid-19 foram registados nos Estados Unidos e, caso se confirmarem os receios dos epidemiologistas sobre o impacto do Dia de Ação de Graças, o mês de dezembro e o natal podem-se tornar palco para uma nova onda de infeções.

Hungria e Polónia confirmam veto aos orçamentos europeus

Os primeiros-ministros da Hungria, Viktor Orbán, e da Polónia, Mateusz Morawiecki, confirmaram hoje o veto aos orçamentos europeus, enquanto o pagamento dos fundos comunitários estiver condicionado ao cumprimento do Estado de Direito.

Brexit: Portugueses falharam quase oito mil candidaturas à residência no Reino Unido

Das 296.850 candidaturas de cidadãos portuguesas processadas até ao final de setembro, 7.780 foram consideradas inválidas (3.610 ), retiradas ou anuladas (3.370) ou recusadas (800), o que corresponde a 2,6%, acima da média geral.
Comentários