Autoeuropa investe 103 milhões na modernização da fábrica de Palmela em 2020

“Investir na fábrica é investir nas nossas pessoas, na nossa região e no nosso país. Com a nova linha de corte nas prensas e a automatização do armazém de logística interna aceleramos o futuro”, refere a empresa do grupo Volkswagen.

Luis Viegas

A Autoeuropa vai investir este ano 103 milhões de euros na modernização da operação logística e no aumento da capacidade de produção da fábrica de automóveis em Palmela, anunciou hoje a empresa.

A informação divulgada na página oficial da Volkswagen Autoeuropa na rede `Linked in´ salienta que o investimento na fábrica de Palmela significa investir nas pessoas, na região e no país.

“Investir na fábrica é investir nas nossas pessoas, na nossa região e no nosso país. Com a nova linha de corte nas prensas e a automatização do armazém de logística interna aceleramos o futuro”, refere a empresa do grupo Volkswagen.

A fábrica da Volkswagen Autoeuropa, o maior investimento estrangeiro no país, é uma unidade industrial multiproduto e multimarca que produziu um total 254.600 veículos em 2019, estabelecendo um novo recorde de produção no setor automóvel em Portugal.

A Autoeuropa, que está a funcionar em pleno desde janeiro de 1995, contribuiu decisivamente para melhorar as exportações portuguesas e tem sido um fator de atração do investimento estrangeiro, particularmente de outras empresas ligadas ao setor automóvel, muitas das quais estão instaladas no denominado Parque Industrial da Autoeuropa, junto à fábrica da Volkswagen, no concelho de Palmela.

Recomendadas

Antonoaldo Neves: Quem vai pagar os prejuízos da TAP com a suspensão de 90 dias nos voos para a Venezuela?

A suspensão da TAP nos seus voos para a Venezuela representam prejuízos de pelo menos 10 milhões de euros, referiu o presidente executivo da TAP no final da conferência de imprensa de apresentação dos resultados de 2019.

Efacec assegura que “reúne todas as condições” para pagar salários e a fornecedores

Empresa afasta qualquer cenário de incumprimento, após Isabel dos Santos, que detém perto de 70% da Efacec, ter alertado hoje em comunicado de que o congelamento de contas das suas empresas se estende ao bloqueio de ordens de pagamento de salários, impostos a fornecedores e à Segurança Social.

Segunda fase da mudança da faixa da TDT arranca dia 24 de fevereiro

A segunda fase do processo de levantamento da rede TDT da faixa que será ocupada pelo 5G abrange os distritos de Évora, Beja e Setúbal.
Comentários