Autoridade Bancária Europeia aconselha consumidores sobre produtos e serviços por canais digitais

Segundo a EBA, antes de escolherem ou contratualizarem produtos ou serviços bancários, os consumidores devem ler e compreender os termos e as condições num momento prévio à assinatura.

A Autoridade Bancária Europeia (EBA) divulgou um conjunto de recomendações para os consumidores se salvaguardarem na escolha e contratação de produtos ou serviços bancários por canais digitais, informou esta terça-feira o Banco de Portugal.

Numa infografia hoje divulgada, a EBA recomenda que, antes de escolher um serviço ou produto bancário, os consumidores identifiquem as suas necessidades financeiras, recolham informações sobre os serviços e as leiam atentamente, verifiquem se os serviços se adequam às suas necessidades e capacidade financeira e comparem ofertas de diferentes prestadores de serviços bancários.

No momento de celebração do contrato para um serviço específico, a EBA aconselha que os consumidores leiam e compreendam os termos e as condições de um produto ou serviço num momento prévio à assinatura do contrato, “prestando especial atenção à informação sobre comissões e encargos”.

A entidade europeia aconselha também os consumidores a adotarem procedimentos que minimizem riscos de segurança associados ao ambiente digital e que conheçam “os mecanismos aos quais podem recorrer sempre que considerem que os seus direitos não foram observados”.

A EBA salienta ainda que os consumidores devem apresentar uma reclamação se considerarem que os seus direitos lhes foram negados, indicando que, “em primeiro lugar”, devem “tentar resolver o problema, escrevendo diretamente ao prestador”.

O Banco de Portugal adianta que, com a publicação desta infografia, “a EBA visa dar cumprimento às prioridades que definiu no roteiro para as ‘fintech’ (empresas tecnológicas financeiras), publicado em março de 2018”.

Ler mais
Recomendadas

Banco de Portugal apela que os administradores não executivos sejam agentes de maior escrutínio das decisões de gestão

Os objetivos últimos, no caso dos bancos, “vão muito para além do interesse dos acionistas. Trata-se de preservar os interesses de muitos outros stakeholders e o interesse público”, salientou a administradora do BdP que ficou com o pelouro da supervisão prudencial.

Sindicatos chegam a acordo com o EuroBic para a revisão do Acordo de Empresa

Os trabalhadores do EuroBic vão ter novos benefícios com o novo Acordo de Empresa. A nova convenção traz mais benefícios aos trabalhadores, nomeadamente na tabela salarial até 2022, dizem os sindicatos do Sul e Ilhas e do Centro.

Faria de Oliveira alerta que sistema bancário tem um excesso de liquidez que não entra na economia

O presidente da APB está a ser ouvido no Parlamento sobre comissões bancárias.
Comentários