Avaliação das casas subiu para 1.200 euros\m2 em abril

Em termos homólogos, a taxa de variação situou-se nos 8,0%, face aos 6,9% de março. O número de avaliações bancárias consideradas ascendeu a cerca de 28 mil, mais 29,6% do que no mesmo período do ano anterior.

A avaliação das casas fixou-se nos1.200 euros\m2 no mês de abril o que representou uma subida de 13 euros (1,1%) em relação ao mês anterior, de acordo com os dados do Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação revelados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) esta quinta-feira, 27 de maio.

Em termos homólogos, a taxa de variação situou-se nos 8,0%, face aos 6,9% de março. O número de avaliações bancárias consideradas ascendeu a cerca de 28 mil, mais 29,6% do que no mesmo período do ano anterior, das quais 17.719 foram de apartamentos e 10.413 de moradias. Em comparação com o mês de março houve uma subida de 2.183 avaliações bancárias, o que correspondeu a um aumento de 8,4%.

O maior aumento registou-se na Região Autónoma da Madeira (2,3%) com o Alentejo a apresentar a única descida (-0,5%). Em comparação com o mesmo período do ano anterior, o valor médio das avaliações cresceu 8,0%, registando-se a maior variação no Norte (7,9%) e a menor na Região Autónoma dos Açores (3,6%).

Apartamentos

No mês em análise, o valor médio da avaliação em apartamentos foi de 1.314 euros/m2, um aumento de 8,6% relativamente ao mês homólogo de 2020. O valor mais elevado foi observado na Área Metropolitana de Lisboa (1.582euros/m2) e o mais baixo no Alentejo (853 euros/m2 ). A região Norte apresentou o crescimento mais expressivo (9,1%), sendo a única descida no Alentejo (0,6%).

Face ao mês anterior, o valor da avaliação subiu 1,1%, com a Região Autónoma dos Açores a apresentar a maior subida (3,3%) e o Alentejo a única quebra (-2,0%). O valor médio da avaliação para apartamentos de tipologia T2 subiu 20 euros, para os 1.336 euros/m2 , tendo os T3 subido igualmente oito euros, para os 1.178 euros/m2. Em conjunto, estas tipologias representaram 81,4% das avaliações de apartamentos realizadas em abril.

Moradias

Nas moradias o valor médio da avaliação foi de 1.000 euros/m2 em abril, o que representou um crescimento de 6,5% em relação ao mesmo mês do ano anterior. Os valores mais elevados observaram-se no Algarve (1.621 euros/m2) e na Área Metropolitana de Lisboa (1.581 euros/m2), tendo o Centro registado o valor mais baixo (820 euros/m2). O Alenteno apresentou o maior crescimento homólogo (12,6%) e o menor ocorreu no Algarve (1,2%).

Face ao mês anterior, a Área Metropolitana de Lisboa apresentou o maior aumento (1,9%), tendo-se verificado a descida mais acentuada no Algarve (-1,4%). Comparando com março, os valores das moradias de tipologias T2, T3 e T4, foram responsáveis por 89,1% das avaliações, atingindo os 949 euros/m2 (menos 16 euros), 978 euros/m2 (mais 10 euros) e 1.064 euros/m2 (mais 19 euros), respetivamente.

Recomendadas

Certificado digital e de recuperação: Sabia que tem de renovar ao fim de 180 dias? (com áudio)

Segundo o portal do Serviço Nacional de Saúde, quem foi vacinado há mais de seis meses têm que renovar o certificado digital para que seja válido.

O hotel que reservei tem uma piscina interior. Poderei usá-la?

Prepare as suas férias e contacte previamente o hotel para ser informado de todas as medidas aplicáveis, nomeadamente, de limpeza, higienização, utilização de espaços comuns e serviços de restauração.

Famílias com maiores rendimentos são as que mais aderem à economia circular

As margens orçamentais das famílias com maiores rendimentos permitem que seja possível incorporar uma economia circular nos consumos diários. Em contrapartida, os casais reformados e seniores solitários são os que se encontram mais distantes deste objetivo.
Comentários