Avarias bloqueiam 20% da frota do Metro de Lisboa

O deputado José Luís Ferreira, d’Os Verdes, entregou no Parlamento um requerimento em que pede mais contratações de motoristas e reparações das composições paradas por avaria.

Metro De Lisboa

O Metro de Lisboa não está a funcionar em pleno devido à falta de reparações, segundo o partido Os Verdes. Num requerimento parlamentar, o deputado José Luís Ferreira questionou o ministério do Ambiente sobre o funcionamento do Metro de Lisboa e pediu a contratação de mais profissionais.

“O Metropolitano de Lisboa é fundamental na rede de transportes coletivos, devendo garantir
uma mobilidade de forma rápida, eficaz e confortável, aliviando a pressão automóvel, bem como
a qualidade de vida das populações”, começa por defender o deputado d’Os Verdes. “No entanto, o serviço atualmente prestado pelo Metro não responde às necessidades dos utentes”.

Segundo o partido, estão 21 composições paradas neste momento, ou seja quase 20% da frota, à espera de reparação. Além disso, o Metro de Lisboa perdeu cerca de 300 trabalhadores desde 2010, que não foram substituídos, apesar de o Governo ter anunciado, em outubro de 2016, a contratação de 30 motoristas.

“Os trabalhadores continuam a não ser contratados e não há materiais para manutenção e reparação do material circulante e dos equipamentos”, acusa João Luís Ferreira. “Perante estes factos, é da maior urgência resolver os problemas do Metropolitano de Lisboa que estão a afetar seriamente o seu normal funcionamento e que comprometem o direito à mobilidade das populações”.

Relacionadas

Metro de Lisboa ‘refresca’ estação dos Restauradores

Trabalhos previstos decorrerão a nível de pavimentos, tetos, superfícies vidradas e equipamentos diversos envolvendo, também, pinturas e remoção de ‘graffitis’, prevendo-se a sua conclusão num prazo de 30 dias.

Metro de Lisboa com mais 7% de passageiros no primeiro trimestre

No primeiro semestre deste ano, o Metropolitano de Lisboa gerou receitas de 53,2 milhões de euros, mais 3,4% que no período homólogo de 2016.

Quatro horas de espera: Turistas desesperam para entrar em Lisboa (e noutras capitais europeias)

O reforço da segurança nos aeroportos está a dificultar a vida aos turistas vindos do Reino Unido. Os tempos de espera em aeroportos, como o de Lisboa, chega a ser de quatro horas.
Recomendadas

PremiumImparidades de 841,2 milhões de euros tiram 300 milhões ao lucro do BCP

O BCP teve lucros de 183 milhões de euros, menos 39,4% do que em 2019, graças às provisões de 841,2 milhões de euros no contexto Covid-19. Polónia e Fundos de Restruturação impactaram nas contas.

1.886 tripulantes da TAP votaram ‘sim’. Acordo de emergência fica aprovado no SNPVAC

A esmagadora maioria dos tripulantes da TAP representados pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil votou favoravelmente o “Acordo de Emergência”, virando a página num processo negocial que tem sido longo para os trabalhadores do Grupo TAP, mas que salvaguardou algumas regalias laborais.

TAP. Pilotos do SPAC aceitam “acordo de emergência”

Com uma participação massiva de 96,8% dos associados do Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC), foi votado o “Sim” ao “acordo de emergência” estabelecido com a administração da TAP, com uma maioria de 617 votos. O regime sucedâneo é afastado para os pilotos, que vêm o ordenado ser cortado em 50% acima do valor de garantia de 1.330 euros mensais.
Comentários