Marchas contra a eutanásia em Aveiro, Braga, Lisboa, Porto e Viseu

A nona edição da Caminhada pela Vida realiza-se no próximo dia 26 de outubro, às 15h00 nestas cinco cidades. De acordo com a organizadora desta iniciativa, o objetivo desta ação passa por “defender todos os seres humanos, principalmente, os mais fracos e vulneráveis”.

As cidades de Aveiro, Braga, Lisboa, Porto e Viseu vão assistir no próximo sábado, dia 26 de outubro, a marchas contra a prática da eutanásia. A nona edição da Caminhada pela Vida tem como objetivo “a defesa de todos os seres humanos, principalmente, os mais fracos e vulneráveis”, de acordo com comunicado da Federação Portuguesa pela Vida, entidade organizadora desta iniciativa.

Esta iniciativa tem início nas cinco cidades referidas às 15h00. Em 2018, esta caminhada juntou mais de 10 mil pessoas que “contribuíram com o seu trabalho para pôr de pé esta iniciativa cerca de  três centenas de voluntários”, realça a Federação Portuguesa pela Vida.

Nas primeiras edições, a caminhada realizou-se apenas em Lisboa, mas atualmente a iniciativa já conta com a participação de cinco grandes cidades. A plataforma Caminhada Pela Vida acredita que em 2020 mais cidades marcharão contra uma eventual legalização da eutanásia, que tem sido defendida por partidos como o Bloco de Esquerda e o PAN, que tencionam apresentar leis nesse sentido nesta legislatura.

Na cidade de Aveiro, a caminhada arranca no largo do mercado Manuel Firmino, e em Braga na Avenida Central (Arcada). Em Lisboa, o percurso inicia-se na Praça Luís de Camões e São Bento na Assembleia da República. Já no Porto, o percurso arranca na Sé, e em Viseu no campo de Viriato.

Recomendadas

Criadores portugueses de moda abrem loja temporária em Guimarães até 19 de dezembro

Vinte e cinco ‘designers’ da moda portuguesa enviaram recentemente um manifesto, designado por “Uma Voz”, ao Presidente da República e ao primeiro-ministro a pedir estatuto profissional e a vontade de criar uma Ordem dos Designers.

Pais que fiquem com filhos nas vésperas dos feriados só têm faltas justificadas

Ou seja, quem não comparecer ao trabalho nas vésperas dos feriados de 01 e de 08 de dezembro para cuidar dos filhos, que vão ter as escolas encerradas, terá apenas as faltas justificadas, perdendo a respetiva remuneração, a menos que as empresas privadas correspondam ao apelo do Governo e decidam atribuir tolerância de ponto aos seus trabalhadores.

Coimbra reforça investimentos na educação, transportes públicos e freguesias

Em comunicado, o executivo de Manuel Machado (PS) salienta que a maior fatia do Orçamento será canalizada para a promoção da igualdade de oportunidades na Educação, com 13 milhões de euros, seguindo-se os programas de função social do transporte público e de reabilitação urbana, com 12 milhões de euros cada um.
Comentários