Banco Africano de Desenvolvimento empresta 30 milhões de euros a Cabo Verde

A verba será usada “para financiar a resposta de saúde e social do país, apoiar a estabilidade macroeconómica e ajudar o setor privado”, ainda que o sistema de saúde esteja “mais bem equipado que muitos dos países na região.

O Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) anunciou esta quinta-feira um empréstimo de 30 milhões de euros a Cabo Verde para fortalecer a resposta aos impactos da pandemia da covid-19, nas áreas da saúde e inclusão social.

“O Conselho de Administração do BAD aprovou um empréstimo de 30 milhões de euros a Cabo Verde para ajudar este arquipélago africano a combater a pandemia da covid-19 e mitigar os seus impactos económicos”, lê-se numa nota enviada à Lusa.

“O empréstimo será usado para financiar a resposta de saúde e social do país, apoiar a estabilidade macroeconómica e ajudar o setor privado”, acrescenta-se no texto, que nota que “apesar de o sistema de saúde estar mais bem equipado que muitos dos países na região, pode ter capacidade adicional face à crise de saúde”.

Cabo Verde tem cerca de 400 casos de infeção, 155 recuperações e quatro mortes, diz o BAD, apontando que o crescimento económico de 5% no ano passado deverá evoluir para uma recessão de 4% este ano.

“O financiamento do banco vai apoiar o empenho das autoridades no aumento do número de ventiladores, de 20 para 86 nas zonas de isolamento, e no total, de 35 para 130 em meados de junho”, lê-se no comunicado

Sobre o apoio social, o BAD explica que o programa de apoio financeiro vai expandir-se de 5 mil para 8 mil agregados familiares vulneráveis e liderados por mulheres, de um total de 9 mil agregados que se estima viverem em pobreza extrema.

Além disto, o banco anunciou também que vai estabelecer um programa para financiar parcialmente os salários dos trabalhadores dispensados, de forma a que “os trabalhadores temporariamente suspensos possam receber 70% do salário total durante a crise”.

O empréstimo de 30 milhões de euros faz parte do pacote de ajuda de 10 mil milhões de dólares, mais de 9,2 mil milhões de euros, que o BAD disponibilizou para o combate aos efeitos da covid-19 em África.

Em África, há 3.696 mortos confirmados em mais de 124 mil infetados em 54 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia naquele continente.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 355 mil mortos e infetou mais de 5,7 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 2,2 milhões de doentes foram considerados curados.

Ler mais
Recomendadas

Número de pessoas infetadas em Angola sobe para os 462

O secretário de Estado indicou que a percentagem de testes reativos é inferior ao que era previsto, sendo a maior parte pessoas que expressaram imunidade e “poucas pessoas que estão em fase ativa da doença”.

Pandemia está a atingir a velocidade máxima em África

A pandemia está a atingir a velocidade máxima e, por isso, gostaria de fazer um apelo ao continente: temos de ser corajosos, arrojados e deliberados na implementação de medidas se saúde publica de forma generalizada”, disse John Nkengasong, diretor do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana.

Banco Africano aprofunda previsão de recessão para até 3,4% este ano

O banco estima agora uma recessão de 1,7% até 3,4%, dependendo do cenário médio ou mais gravoso, e uma recuperação de entre 2,4% a 3% no próximo ano.
Comentários