Banco de Cabo Verde prevê vender sede e edifícios por mais de 3,2 milhões de euros

A administração do Banco de Cabo Verde (BCV) esclareceu esta segunda-feira que a venda da atual sede e mais dois edifícios na Praia será feita por mais de 3,2 milhões de euros, conforme avaliação de peritos aos imóveis.

O BCV – Banco de Cabo Verde prevê vender até 2021 a atual sede e mais dois edifícios na Praia, ilha de Santiago, para ocupar a nova sede na capital cabo-verdiana, projetada pelo arquiteto Siza Vieira.

Em nota enviada à agência Lusa, a administração do banco central explica que no relatório e contas da instituição, relativo a 2019, foi inscrito o valor líquido dos imóveis de 58.811.000 escudos (530 mil euros), como “valor de aquisição deduzido das depreciações”, e não ainda como de venda, sendo por isso um valor contabilístico.

Acrescenta que se prevê que o valor de venda seja “em torno de 363.321 milhares de escudos [3,28 milhões de euros]”, que foi, entretanto, “determinado por avaliação independente feita por peritos externos ao BCV”.

 

Recomendadas

Orçamento da CPLP para 2021 terá “crescimento zero” mas redução de custos

O orçamento da organização, suportado pelas contribuições dos seus nove Estados-membros, foi de 2.734.731,15 euros para o exercício de 2020. O Conselho de Ministros extraordinário deve realizar-se entre 7 e 9 de dezembro.

Cabo Verde prevê linhas de crédito para pequenos produtores agropecuários

Agricultura representa 8% do PIB de Cabo Verde. Governo cabo-verdiano fala na necessidade de medidas extraordinárias e urgentes “de modo a evitar interrupções na produção e no abastecimento regular de alimentos à população”.

Histórico complexo salineiro na ilha do Sal vai ser recuperado e ter museu

O ministro da Cultura cabo-verdiano definiu esta quarta-feira o restauro do complexo industrial salineiro de Pedra de Lume, que prevê um museu dedicado à secular atividade, como uma obra “prioritária” do Governo para o pós-pandemia.
Comentários