Barcelona perde 500 milhões de euros devido ao cancelamento de feira tecnológica

Sem a presença dos maiores atores no ecossistema da feira tecnológica mundial, os responsáveis tomaram a decisão de cancelar a sua realização, uma vez que já estavam a perder dinheiro sem os seus maiores expositores.

Mobile World Congress | Flickr

A associação responsável pelo Mobile World Congress (MWC), a GSMA, revelou que a cidade de Barcelona vai perder 500 milhões de euros depois do anúncio do cancelamento do evento, revelou o jornal espanhol ‘El Economista’. O anúncio chegou ontem, ao fim da tarde, depois de mais de 45 empresas cancelaram a presença no evento tecnológico.

Entre as grandes empresas mundiais que anunciaram que não iriam estar presentes no evento encontram-se a Orange, Vodafone, British Telecom, Deutsche Telekom, Nokia, Sony, Amazon e Rakuten. Sem a presença dos maiores atores no ecossistema da feira tecnológica, os responsáveis tomaram a decisão de suspender a sua realização, uma vez que já estavam a perder dinheiro sem os seus maiores expositores.

No comunicado dos organizadores lê-se que “por um ambiente seguro e saudável em Barcelona e pelo país anfitrião, a GSMA cancelou o MWC Barcelona 2020 porque a preocupação global devido à propagação do coronavírus, as preocupações nas viagens e outras circunstancias, fazem com que seja impossível a GSMA realize o evento”.

Ainda assim, a GSMA sustentou estar atenta a todas as regras necessárias para evitar a propagação do vírus mundial, tendo inclusive reunido-se com profissionais de saúde, a nível espanhol e mundial.

Apesar da organização saber do grande impacto económico para a cidade catalã, no valor de 492 milhões de euros, e da criação de 14.100 colaborações temporárias, não viu outra opção senão dar o evento como suspenso. No comunicado, a GSMA adianta ainda que está a trabalhar para voltar no próximo ano, uma vez que o evento se realiza em Barcelona desde 2006.

De acordo com os dados da imprensa espanhola, a despesa com hotéis ascendia aos 70 milhões de euros e, embora as empresas tenham cancelado a sua participação, devem pagar o valor dos quartos que estavam alugados entre 24 e 27 de fevereiro.

Ainda assim, os hotéis e o evento não serão os únicos afetados. Também os apartamentos de aluguer temporário vão sofrer as consequências. Estes apartamentos tinham reservas no valor de 14 milhões de euros, o que significa 4% da faturação anual e que acabavam por salvar a baixa temporada que acontece nos meses frios. Também os restaurantes, os serviços de transporte privado, os táxis e a vida noturna vão sofrer as consequências de um cancelamento.

O secretário-geral da Federação Catalã das Associação de Restauração e Atividades, Joaquim Boadas, explicou à publicação que, só no ano passado, a restauração e vida noturna apresentaram uma faturação na ordem dos 110 milhões de euros, devido ao MWC, e que em 2017 este valor foi de 75 milhões de euros porque choveu.

Ler mais
Relacionadas

Mobile World Congress cancelado devido ao coronavírus

Responsáveis pelo evento só se iriam reunir esta próxima sexta-feira, 14 de fevereiro, para uma tomada de decisão mas os cancelamentos consecutivos por parte das empresas que deveriam marcar presença precipitaram o anúncio.

Mobile World Congress vai realizar-se apesar da ausência de 45 empresas

Trata-se de um dos maiores eventos tecnológicos do mundo, acolhendo a participação das grandes telecom e das maiores fornecedoras de equipamento de telecomunicações móveis do mundo. Vodafone, Deutsche Telekom, Orange, BT e Nokia são algumas das empresas que já garantiram não participar no Mobile World Congress deste ano.

Coronavírus. Mais de 30 empresas já cancelaram presença no Mobile World Congress

O número de empresas que já confirmaram que não vão estar presentes no Mobile World Congress – o maior evento de telecomunicações do mundo, subiu para 34 esta quarta-feira dia 12 de fevereiro. Empresas como a Amazon, Cisco, Facebook, Ericsson ou até a Sony, são algumas das que já confirmaram que não vão participar.

Coronavírus ameaça distribuição de produtos da Amazon

A retalhista informou vários fornecedores na última semana para aumentarem o número de pedidos sobre os produtos fabricados na China. A medida visa antecipar possíveis desacelerações da cadeia de produtos causadas pelo surto do coronavírus na região de Wuhan.

Sony e Amazon cancelam participação no Mobile World Congress devido ao coronavírus

LG, Nvidia e Ericsson também não estarão presentes na conferência de Barcelona. “Como damos a máxima importância à segurança e ao bem-estar de nossos clientes, parceiros, media e funcionários, tomámos a difícil decisão de deixar de expor e participar do MWC 2020 em Barcelona, Espanha”, informou a tecnológica esta segunda-feira.

“Evitem apertos de mão”. Coronavírus põe em alerta organização do Mobile World Congress

O maior evento de telecomunicações do mundo emitiu um comunicado onde sugere um conjunto de dez regras/medidas a serem tomadas pela organização do evento a fim de amenizar os possíveis riscos de contágio entre os participantes. Evitar apertos de mão, microfones exclusivos para cada orador ou formações especiais para membros do staff são algumas das sugestões.

Readiness IT testa capacidade de crescimento no MWC

É o mais importante certame de telecomunicações do mundo. A presença da empresa quer dar a entender que passou para um novo patamar de desenvolvimento – que em 2022 pode querer dizer uma faturação de 50 milhões.
Recomendadas

Premium“Super terça-feira” vai definir adversário democrata de Trump nas presidenciais

Está a chegar a “superterça-feira” em que democratas de 14 estados definem quem irá tentar travar a reeleição de Donald Trump. Bernie Sanders lidera.

Canadá vai deixar de pagar segurança de Harry e Meghan “nas próximas semanas”

Assim que o período de transição estiver concluído, o Governo do Canadá vai aliviar os contribuintes de pagar os custos de segurança dos duques de Sussex. A dupla é considerada como Pessoas Internacionalmente Protegidas e por isso tem a “obrigação de fornecer assistência de segurança conforme as necessidade”.

Vice-presidente iraniana infetada pelo coronavírus

Segundo a sua assessora de relações públicas, Fariba Ebtehaj, o teste de despistagem do coronavírus deu resultado positivo hoje e foi realizado após a vice-presidente ter apresentado sintomas no dia anterior, quando participou na reunião do Conselho de Ministros.
Comentários