BCE multa banco francês Crédit Agricole em 4,3 milhões

O banco pode agora recorrer da decisão da instituição de Frankfurt para o Tribunal de Justiça da União Europeia.

O Banco Central Europeu (BCE) multou o banco francês Crédit Agricole em 4,3 milhões de euros por falhas em procedimentos relativos a rácios de capital, disse hoje a instituição europeia em comunicado.

Segundo o BCE, em 2015 e 2016, o banco classificou instrumentos de capital como CET1 (‘Common Equity Tier 1’, uma medida de avaliação da solvabilidade de um banco) sem ter tido a sua prévia autorização.

O banco pode agora recorrer da decisão da instituição de Frankfurt para o Tribunal de Justiça da União Europeia.

As ações do Crédit Agricole fecharam hoje, na bolsa de Paris, a subir 0,27% para 11,83 euros.

Recomendadas

Banco de Fomento lança duas novas linhas de apoio à economia no valor de 1.100 milhões de euros

Banco Português de Fomento abre esta segunda-feira as candidaturas para as novas linhas de crédito. A linha de apoio para as empresas exportadoras da indústria e do turismo tem uma dotação global de 1.050 milhões de euros, enquanto a linha de apoio às empresas de montagem de eventos tem uma dotação de 50 milhões de euros.

“É quase inevitável que o crédito malparado comece a aumentar novamente”, diz Dombrovskis

Vice-presidente da Comissão Europeia realça que o malparado diminuiu na banca portuguesa nos últimos anos. No entanto, admite que a crise provocada pela pandemia se irá traduzir num aumento quase “inevitável” do crédito malparado, destacando por isso o Plano de Ação de Bruxelas para combater os créditos improdutivos.

Lesados do Banif e das sucursais exteriores do BES acusam Governo de violar “o princípio constitucional da igualdade”

A ALEV (Associação de Lesados Emigrantes da Venezuela e África do Sul) e a ABESD – Associaçao de Defesa dos Clientes Bancários vêm falar em “potencial violação do princípio constitucional da igualdade” em reação à notícia de que Governo pode não dar garantia a lesados das sucursais exteriores do BES e aos lesados do Banif.
Comentários