BCP coloca 500 milhões de dívida sénior a 1,125% ao ano durante cinco

O Millennium BCP emitiu estes títulos de dívida de forma a reforçar os seus rácios, no âmbito dos requisitos de instrumentos MREL – Minimum Requirements for Own Funds and Eligible Liabilities – que são exigidos aos bancos pelo Conselho Único de Resolução.

Cristina Bernardo

O Banco Comercial Português anunciou as condições da emissão de títulos de dívida sénior preferencial que hoje, sexta-feira, já tinha sido avançada pela Bloomberg.

O banco “fixou hoje as condições de uma emissão de títulos representativos de dívida sénior preferencial ao abrigo do seu Euro Note Programme”, lê-se no comunicado.

A emissão, no montante de 500 milhões, terá um prazo de 6 anos, com opção de reembolso antecipado pelo Banco no final de 5 anos, um preço de emissão de 99,879% e uma taxa de juro de 1,125%, ao ano, durante os primeiros 5 anos (correspondente a um spread de 1,55% sobre a taxa mid-swaps de 5 anos).

No sexto ano, a taxa de juro resultará da soma da Euribor a 3 meses com um spread de 1,55%.

A operação foi colocada num conjunto muito diversificado de investidores institucionais europeus.

O banco fala em “elevada procura” e diz ainda que “o perfil dos investidores que subscreveram a emissão, aliadas à celeridade com que a operação foi executada, refletem a confiança do mercado no Banco e a sua capacidade de aceder em condições muito favoráveis a qualquer segmento do mercado de capitais”.

O Millennium BCP emitiu estes títulos de dívida de forma a reforçar os seus rácios, no âmbito dos requisitos de instrumentos MREL – Minimum Requirements for Own Funds and Eligible Liabilities – que são exigidos aos bancos pelo Conselho Único de Resolução.

O objetivo do supervisor é assegurar que os bancos têm fundos próprios e passivos elegíveis suficientes para garantir a sua capacidade de absorver perdas em cenários adversos e recapitalizar internamente o banco (bail-in), assegurando assim a continuidade da sua atividade.

A diretiva da Resolução Bancária estabelece que a data limite para o cumprimento do requisito MREL é 1 de janeiro de 2024, com uma meta intermédia que deve ser cumprida em 1 de janeiro de 2022.

A diretiva estabelece que o requisito MREL deve ser expresso em percentagem do montante total das posições ponderadas pelo risco (RWA) e em percentagem da medida da exposição total do rácio de alavancagem (LRE – Leverage Ratio Exposure).

Ler mais
Recomendadas

CGD relança venda do Banco Caixa Geral no Brasil

O Banco Caixa Geral Brasil vai voltar à praça. O Governo aprovou em Conselho de Ministros o lançamento de um novo concurso de venda.

Sindicatos rejeitam aumentos zero na banca para 2021

“Os sindicatos propuseram uma revisão em 1,5% das tabelas salariais, pensões de reforma e cláusulas de expressão pecuniária, assim como um aumento de 3,1% relativo aos SAMS. Propostas que foram rejeitadas pelo Grupo Negociador das Instituições de Crédito (GNIC), que propôs, em contrapartida, uma atualização de 0% das tabelas salariais e dos SAMS”, dizem os sindicatos.
João Gama Leão Prebuild

Dono da Prebuild investiu no GES com crédito e Salgado disse-lhe que “a família nunca esquece quem a ajuda”

O dono da Prebuild contou o seu percurso profissional desde Angola até Portugal, altura em que foi convidado pelo BES a investir da ESI com dinheiro do BES garantido pelo BESA. Relatou que “o momento alto da sua carreira” foi almoçar com Ricardo Salgado. Concluiu que “a queda do meu grupo é responsabilidade do Novo Banco”, por não ter sido recebido pelo banco em 2014 e com isso ter estrangulado a liquidez do seu grupo.
Comentários