BdP: empréstimos às empresas caíram em novembro

Os empréstimos a particulares para habituação aumentou para 0,5%, mais 0,1 p.p. do que o registado no mês anterior. Ainda assim, os empréstimos a particulares dedicados ao consumo apresentaram uma tva de 7,8%, que compara com os 6,9% observados em outubro.

O número de empréstimos concedidos às empresas apresentaram uma quebra no mês de novembro, enquanto os empréstimos a particulares aumentaram, de acordo com uma nota de informação estatística do Banco de Portugal (BdP) relativa a novembro, divulgada esta terça-feira, 14 de janeiro.

“Em novembro de 2019, os empréstimos concedidos pelos bancos a sociedades não financeiras [empresas] apresentaram uma taxa de variação anual (tva) de 1,1%, menos 0,6 pontos percentuais (pp) do que o registado no mês anterior”, lê-se na nota do BdP. Relativamente às empresas exportadoras privadas, a tva foi de -0,5%, valor que compara com os 0,0% de outubro.

Por sua vez, a tva dos empréstimos a particulares para habituação aumentou para 0,5%, mais 0,1 p.p. do que o registado no mês anterior. Ainda assim, os empréstimos a particulares dedicados ao consumo apresentaram uma tva de 7,8%, que compara com os 6,9% observados em outubro.

“Para o conjunto da área do euro, a tva dos empréstimos a empresas foi de 2,6%, depois de, em outubro se ter situado em 3,1%”, esclarece o BdP. Também na zona euro, os empréstimos a particulares, nas finalidades de habitação e consumo, foram de 3,7% e 5,7%, respetivamente, mantendo os mesmos dados relativos a outubro.

Os depósitos de particulares nos bancos residentes verificaram um total de 149,7 mil milhões de euros no final de novembro, sendo que a tva foi de 4,1%, menos 0,2 p.p. do que o observado no mês anterior. Já na zona euro, a tva dos depósitos de particulares situou-se me 5,9% em novembro, valor acima do registado em outubro, quando se fixou em 5,6%.

Recomendadas

Ministra do Trabalho: apoio às empresas em ‘lay-off’ diferenciado em função da quebra de faturação

O apoio às empresas em ‘lay-off’ que retomarem a atividade será diferenciado em função da quebra de faturação, com vista a direcionar as ajudas públicas “a quem mais precisa”, afirmou a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, na terça-feira.

Infografia | Sintra e Lisboa lideram no número de novos casos diários

Sintra (45) e Lisboa (39) foram os dois concelhos a nível nacional que registaram mais novos casos confirmados de Covid-19 nas últimas 24 horas. Seguem-se a Amadora e Loures (ambos com 25 casos cada), seguidos por Odivelas (21).

CFP: Impacto de ajuda à TAP nas finanças públicas depende da forma de intervenção

A instituição presidida por Nazaré da Costa Cabral nota que entre os apoios com impacto na dívida pública e eventualmente no saldo orçamental está eventuais injeções de capital que o Estado português possa vir a ter de efetuar em empresas públicas ou participadas.
Comentários