BdP: empréstimos às empresas caíram em novembro

Os empréstimos a particulares para habituação aumentou para 0,5%, mais 0,1 p.p. do que o registado no mês anterior. Ainda assim, os empréstimos a particulares dedicados ao consumo apresentaram uma tva de 7,8%, que compara com os 6,9% observados em outubro.

O número de empréstimos concedidos às empresas apresentaram uma quebra no mês de novembro, enquanto os empréstimos a particulares aumentaram, de acordo com uma nota de informação estatística do Banco de Portugal (BdP) relativa a novembro, divulgada esta terça-feira, 14 de janeiro.

“Em novembro de 2019, os empréstimos concedidos pelos bancos a sociedades não financeiras [empresas] apresentaram uma taxa de variação anual (tva) de 1,1%, menos 0,6 pontos percentuais (pp) do que o registado no mês anterior”, lê-se na nota do BdP. Relativamente às empresas exportadoras privadas, a tva foi de -0,5%, valor que compara com os 0,0% de outubro.

Por sua vez, a tva dos empréstimos a particulares para habituação aumentou para 0,5%, mais 0,1 p.p. do que o registado no mês anterior. Ainda assim, os empréstimos a particulares dedicados ao consumo apresentaram uma tva de 7,8%, que compara com os 6,9% observados em outubro.

“Para o conjunto da área do euro, a tva dos empréstimos a empresas foi de 2,6%, depois de, em outubro se ter situado em 3,1%”, esclarece o BdP. Também na zona euro, os empréstimos a particulares, nas finalidades de habitação e consumo, foram de 3,7% e 5,7%, respetivamente, mantendo os mesmos dados relativos a outubro.

Os depósitos de particulares nos bancos residentes verificaram um total de 149,7 mil milhões de euros no final de novembro, sendo que a tva foi de 4,1%, menos 0,2 p.p. do que o observado no mês anterior. Já na zona euro, a tva dos depósitos de particulares situou-se me 5,9% em novembro, valor acima do registado em outubro, quando se fixou em 5,6%.

Recomendadas

Taxa de desemprego sobe para 6,9% em dezembro

Dados provisórios do INE revelam uma subida de duas décimas na taxa de desemprego em dezembro, face a novembro.

IGCP emite 949 milhões de euros em operação de troca para alongar prazos da dívida até 2029

Na primeira operação de troca de dívida deste ano, a instituição presidida por Cristina Casalinho adiou em oito anos o reembolso de Obrigações do Tesouro que venciam em 2021.

Novo Banco pede falência de empresa de Moniz da Maia por dívida de 375 milhões de euros

No pedido de insolvência da empresa, o banco invoca dívidas no total de 16,5 milhões de euros respetivos a um crédito concedido diretamente à empresa de Bernardo Moniz da Maia em 2009 e 358,3 milhões de euros relativos a um contrato de financiamento celebrados entre o BES e a Sogema Investments Limited, segundo o JN.
Comentários