Benfica SAD quer emitir até 35 milhões em obrigações a três anos. Paga taxa de 4%

Com a oferta pública a Benfica SAD pretende “prosseguir uma estratégia de diversificação e otimização das fontes de financiamento” na sequência do reembolso do empréstimo obrigacionista denominado Benfica SAD 2017-2020. O montante global poderá vir a ser aumentado via adenda ao prospeto.

A Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD anunciou este sábado uma oferta pública para emitir até sete milhões de obrigações com maturidade em julho de 2023, com um montante global inicial de até 35 milhões de euros e uma taxa de juro fixa bruta de 4%.

No prospecto publicado no site da CMVM, a Benfica SAD referiu que as obrigações, que terão um valor nominal de cinco euros cada, irão ser emitidas a 15 de julho, com a oferta pública de subscrição a decorrer entre as 8h30 de 29 de junho e as 15h00 de 10 de julho inclusive.  Referiu ainda que o montante global a emitir poderá ser aumentado através de uma adenda ao prospecto.

O documento explicou ainda que com a oferta pública a Benfica SAD “pretende obter fundos através do recurso ao mercado de capitais, prosseguindo uma estratégia de diversificação e otimização das fontes de financiamento, sendo estes utilizados para o reforço de liquidez na sequência do reembolso do empréstimo obrigacionista denominado Benfica SAD 2017-2020 e para o desenvolvimento da sua atividade corrente”.

Em relação aos principais riscos específicos ao emitente, a Benfica SAD referiu o risco associado à pandemia causada pela Covid-19 e possibilidade de futuros focos de doenças semelhantes. “Esta pandemia levou a que fosse declarado o estado de emergência em vários países, incluindo em Portugal, e obrigou à suspensão de todas as competições nacionais e europeias em que as equipas de futebol nacionais e europeias participam, de forma a reduzir a possibilidade de propagação desta doença aos trabalhadores e jogadores de futebol”.

“Essa suspensão, cujos efeitos ainda estão por determinar na sua totalidade, terá um impacto significativamente adverso no âmbito desportivo e, sobretudo, económico e financeiro a nível das receitas da Benfica SAD, incluindo a redução de prémios da UEFA, receitas de bilheteira e proveitos decorrentes das transações de atletas.

O Haitong Bank é o assistente, organizador e coordenador geral na operação.

Veja aqui o calendário da operação:

  • 29 de junho de 2020 às 8h30: Início do prazo da Oferta Pública de Subscrição
  • 8 de julho de 2020: Limite para o Emitente aumentar, por sua opção através de publicação de uma adenda
    ao Prospeto aprovada pela CMVM e divulgada, o montante de Obrigações Benfica SAD 2020-2023 a emitir, inclusive, e, consequentemente, o objeto da Oferta Pública de Subscrição
  • 10 de julho de 2020: às 15h00 Limite para alterar ou revogar ordens de subscrição transmitidas no âmbito da Oferta Pública de Subscrição, a partir do qual as ordens de subscrição não poderão ser alteradas e serão irrevogáveis, inclusive
  • 10 de julho de 2020: às 15h00 Fim do prazo da Oferta Pública de Subscrição
  • 10 de julho de 2020: às 16h30 Fim do período de transmissão de ordens de subscrição à Euronext por parte dos intermediários financeiros
  • 13 de julho de 2020: Apuramento dos resultados pela Euronext em sessão especial de mercado regulamentado e divulgação dos resultados da Oferta Pública de Subscrição
  • 15 de julho de 2020: Liquidação física e financeira da Oferta Pública de Subscrição, emissão e subscrição
    das Obrigações Benfica SAD 2020-2023
  • 15 de julho de 2020: Data prevista para a admissão à negociação das Obrigações Benfica SAD 2020-2023 no
    Euronext Lisbon, estando sujeita a decisão da Euronext
Ler mais

Recomendadas

Polícia catalã faz buscas no FC Barcelona e detém ex-presidente Bartomeu

A polícia catalã está segunda-feira a efetuar buscas nos escritórios do FC Barcelona, por suspeitas de corrupção, e efetuou três detenções, entre as quais do antigo presidente do clube espanhol Josep María Bartomeu, confirmaram à EFE fontes judiciais.

PSD pede ao Governo para incluir desporto na aplicação da “bazuca” europeia

Os social-democratas criticam o Governo por não estar “ciente” da “gravidade e urgência” da situação com a qual se defronta o setor desportivo e alertam para as dificuldades de várias organizações em retomar a atividade no pós-pandemia.

Centralização dos direitos televisivos: Luís Vilar acredita que clubes pequenos vão ser beneficiados

Luís Vilar acredita que com a centralização dos direitos televisivos os clubes pequenos “vão ter capacidade de exportar o seu produto além-fronteiras”.
Comentários