BiG sobre a Tesla: “Investimento na ação é extremamente especulativo”

A liderança de Elon Musk reforça a confiança dos investidores na empresa, mas o impacto de notícias tanto positivas como negativas nas ações, levanta questões sobre os riscos de apostar na Tesla.

O investimento em ações da Tesla é especulativo e prende-se mais com o carisma do líder da empresa, Elon Musk, do que com o potencial da empresa. O aviso é feito numa nota do BiG – Banco de Investimento Global, assinada pelo analista João Lampreia, que alerta para o impacto de notícias (tanto positivas como negativas) na cotação da empresa.

“Os resultados recentes da Tesla tornam cada vez mais evidente que o preço da ação está maioritariamente suportado pela fé dos investidores no desempenho de Elon Musk enquanto líder da empresa”, explica o analista João Lampreia, do BiG, numa nota. “Consideramos o investimento na ação extremamente especulativo”.

Este mês apenas, um acidente com um carro de condução autónoma da Tesla fizeram as ações cair a pique, o mesmo efeito que já tinham tido os dados preliminares das vendas. No segundo trimestre do ano, foram entregues apenas 22 mil veículos, abaixo das expetativas e em comparação com os resultados positivos registados nos meses anteriores.

Em sentido contrário, as ações tinham valorizado em junho com notícias de que a Tesla estaria próxima de fechar negócio e abrir uma fábrica de automóveis na China.

O analista acrescenta que a competição no segmento de gama baixa e média dos automóveis com motores elétricos tem-se intensificado nos últimos anos. Outra preocupação é a dependência da empresa a aumentos de capital. “A empresa está extremamente dependente de consecutivos aumentos de capital para continuar a operar”, lembra ainda Lampreia.

“A Tesla tem recorrido anualmente a aumentos de capital para financiar a sua operação, o que a deixa muito dependente do preço atual da ação para a operação futura. Elon Musk tem feito um trabalho notável a vender as ações da empresa, mas o risco de deixar de conseguir fazê-lo são relevantes”.

Ler mais
Relacionadas

As ações eletrizantes da Tesla

Pioneira e ambiciosa, a fabricante de carros elétricos tem disparado na bolsa. Os analistas mostram receio, mas a visão do CEO convence os investidores.

Valorização dos 19 aos 383 em 7 anos, a velocidade furiosa da Tesla

Foram, mais precisamente, sete anos e um dia entre os 19 dólares na abertura da primeia sessão em bolsa (a 29 de junho de 2010) e o máximo de 383,45 dólares atingido a 30 de junho de 2017.

Elon Musk partilha as primeiras fotos do seu Model 3

Cerca de 30 veículos Model 3 vão ser entregues aos clientes no dia 28 de julho desde ano. A Tesla disse que vai produzir mais 1.500 carros em setembro e tenciona crescer para cerca de 20 mil carros por mês até dezembro.

Tesla ajuda Austrália com a maior bateria de iões de lítio do planeta

A Tesla será a responsável pela criação da maior bateria de iões de lítio do mundo. A nova bateria ajudará o Estado da Austrália do Sul a combater a crise energética e deverá estar pronta até 100 dias depois de assinado o acordo.
Recomendadas

Tecnologia anima Wall Street, que aguarda decisões da Fed

Os títulos da rede social Facebook fecharam com um disparo de 4,24%, para 189,01 dólares. Os investidores estão ainda atentos aos resultados trimestrais da Oracle e da Adobe.

Um ministro das Finanças e um orçamento comum, as receitas de Blanchard para a Zona Euro

O antigo economista-chefe do FMI traçou o caminho para uma política monetária e orçamental mais coordenada para a zona euro. Além da criação de um posto de ministro das Finanças, Olivier Blanchard disse que é essencial agilizar as políticas sobre o défice e sugeriu um orçamento comunitário comum.

Energia e Altri põem PSI 20 a cair mais de 1%

As praças de Lisboa, Madrid e Amesterdão destoaram do ‘verde’ das suas principais congéneres da Europa.
Comentários