BlackRock vai acelerar esforço para fazer da sustentabilidade o ‘standard’ no investimento

“A sustentabilidade está a tornar-se cada vez mais importante para os resultados do investimento, e como o líder global na gestão do investimento, o nosso objectivo é de ser o líder global na gestão do investimento sustentável”, afirmou o ‘board’ da norte-americana BlackRock, numa carta enviada aos clientes.

A maior gestora de ativos do mundo, a norte-americana BlackRock, acredita que a sustentabilidade deverá ser o novo ‘standard’ no investimento e explicou esta terça-feira como vai acelerar os esforços para integrar esse fator nos portfólios dos clientes.

Numa carta enviada aos clientes, a comissão executiva da empresa, que tem quase 7 biliões de dólares em ativos sob gestão, afirmou que “dado que as opções de investimento sustentável têm o potencial de oferecer melhores resultados aos clientes, estamos a tornar a sustentabilidade uma peça integral na forma como a BlackRock gere o risco, constrói os portfólios, desenha os produtos e interage com as empresas”.

Recordou que nos últimos anos tem aprofundado a integração da sustentabilidade na tecnologia, gestão de risco e escolhas de produtos e que vai agora acelerar esses esforços através de três áreas de ação.

A primeira consiste na integração da sustentabilidade nos portfólios (criando versões sustentáveis dos principais modelos de portfólios) e nos processo de investimento ativo, na redução da exposição a setores com externalidades negativas. Em relação a este último passo, a BlackRock explicou que vai remover dos portfólios de investimento ativos a dívida e as ações de empresas que gerem mais de 25% das receitas através de produção de energia via centrais termais a carvão, objetivo que pretende atingir até ao final da primeira metade de 2020.

O segundo lote de medidas está relacionado com o aumento da acesso ao investimento sustentável. A gestora vai duplicar o número de ETF de ESG, ou seja, fundos constituídos com base em critérios de ambientais, sociais e de governança, nos próximos anos para 150. Outras medidas incluem o trabalho em conjunto com fornecedores de índices para expandir e melhorar o universo de índices sustentáveis.

Por fim, a gestora compromete-se a participar em esforços conjuntos com outras entidades na gestão de temas da sustentabilidade, a renovar os guidelines de compromissos e de como vota nos boards em que está presente, e a aumentar a transparência sobre como age nesses contextos.

“A sustentabilidade está a tornar-se cada vez mais importante para os resultados do investimento, e como o líder global na gestão do investimento, o nosso objectivo é de ser o líder global na gestão do investimento sustentável”, concluiu.

 

Ler mais

Recomendadas

Acionistas da Prisa aprovam venda da TVI à Cofina

Os acionistas da empresa dona da TVI deram luz verde à venda estação de televisão e outros ativos à companhia que detém o Correio da Manhã e a CMTV, entre outros.

IGCP emite 949 milhões de euros em operação de troca para alongar prazos da dívida até 2029

Na primeira operação de troca de dívida deste ano, a instituição presidida por Cristina Casalinho adiou em oito anos o reembolso de Obrigações do Tesouro que venciam em 2021.

Novo Banco pede falência de empresa de Moniz da Maia por dívida de 375 milhões de euros

No pedido de insolvência da empresa, o banco invoca dívidas no total de 16,5 milhões de euros respetivos a um crédito concedido diretamente à empresa de Bernardo Moniz da Maia em 2009 e 358,3 milhões de euros relativos a um contrato de financiamento celebrados entre o BES e a Sogema Investments Limited, segundo o JN.
Comentários