Bloco de Esquerda propõe campanha para divulgar estatuto do cuidador informal

O deputado do Bloco de Esquerda José Soeiro lembrou “que existem 191 pedidos a nível nacional, num universo de 800 mil cuidadores informais, dos quais 250 mil são a tempo inteiro” e classificou a situação como “irrisória”

O deputado do Bloco de Esquerda, José Soeiro, anunciou, a 13 de julho, que o partido vai sugerir, ainda esta semana, na Assembleia da República, a criação de uma campanha de divulgação do estatuto de cuidador informal, segundo artigo publicado na página do partido.

“O facto de existirem 191 pedidos a nível nacional, num universo de 800 mil cuidadores informais, dos quais 250 mil são a tempo inteiro, é irrisório. Vamos propor que seja criada uma campanha de divulgação do estatuto e respetivos apoios, como foi feito há alguns anos com o complemento solidário para idosos”, disse o deputado do Bloco à Lusa.

José Soeiro referiu que “mesmo nos concelhos de Matosinhos e Penafiel com projetos-piloto na área dos cuidadores informais, não estará a existir recurso a pedidos de subsídio”.

“O estatuto do cuidador informal, que foi aprovado em Julho de 2019, previa que tivessem começado a 1 de abril de 2020 projetos-piloto, em 30 concelhos do país”, recordou o deputado do Bloco de Esquerda que apontou ainda que os “projetos implicam medidas de apoio, que incluem a atribuição de “profissionais de referência, da área da Saúde e da Segurança Social, que farão um plano de intervenção que irá incluir medidas de acompanhamento, aconselhamento, capacitação e formação para o cuidador”.

Relacionadas

Transcrição da audição de Centeno para governador do Banco de Portugal ocupa 91% relatório da COF

Relatório da audição de Mário Centeno é meramente descritivo e não faz qualquer conclusão sobre a adequação do ex-ministro das Finanças para o cargo de governador do Banco de Portugal. Bloco de Esquerda vai votar contra, pois relatório “reduz Assembleia da República a uma secretaria”, garante Mariana Mortágua.

Todos saíram a perder em Madrid com as eleições na Galiza e no País Basco

Partidos que integram a coligação que governa Espanha tiveram notícias entre o mau e o catastrófico, mas até o líder da oposição de centro-direita, Pablo Casado, teve motivos para ficar preocupado apesar de nova maioria absoluta do PP na Galiza.
Recomendadas

Marques Mendes defende que Governo deve diminuir as exceções do confinamento

O comentador político elogiou a decisão do Governo avançar com o confinamento e manter as escolas abertas, contudo considera que existem demasiadas restrições e que as medidas decididas na semana passada poderiam ter sido tomadas mais cedo.

Ana Gomes apela a “unidade nacional” para evitar rutura nos serviços de saúde

A candidata presidencial Ana Gomes defendeu que “hoje é o dia” de ultrapassar as “diferenças ideológicas” e mobilizar num “esforço de unidade nacional” todos os recursos disponíveis para evitar a “rutura dos serviços básicos de saúde”.

Presidenciais: CNE recebe queixas de eleitores impedidos no voto antecipado por confinamento

A Comissão Nacional de Eleições (CNE) recebeu hoje várias reclamações de cidadãos que não podem votar queixando-se de informações incompletas sobre os prazos para a inscrição no voto antecipado em confinamento para as eleições presidenciais.
Comentários