BNI Europa faz parceria com ‘fintech’ portuguesa para permitir vender tudo a prestações

Imagine-se a comprar aquele vestido (ou aquele fato, no caso dos homens) cujo preço desequilibra o orçamento mensal, com este novo serviço pode pagar em várias vezes, tal como se faz no Brasil. Neste serviço Banco BNI Europa apenas antecipa o valor da venda ao lojista e a Parcela Já faz a gestão dos parcelamentos.

“Parcelar compras”, ou seja pagar em várias vezes qualquer produto que se compra, não é tão comum em Portugal como no Brasil (onde a regra é cada venda ser paga a prestações), mas o Banco BNI Europa e a Parcela Já, uma Fintech portuguesa, acabaram de fazer uma parceria para o lançamento uma solução inovadora para o mercado português, que visa permitir a qualquer retalhista oferecer aos seus clientes o parcelamento de qualquer compra.

No Brasil não há nenhuma loja que não venda a prestações. Se for à Zara, por exemplo, pode comprar qualquer peça “parcelando” o pagamento. Imagine-se a comprar aquele vestido (ou aquele fato, no caso dos homens) cujo preço desequilibra o orçamento, com este novo serviço pode pagar em várias vezes.

Neste serviço Banco BNI Europa apenas antecipa o valor da venda ao lojista e a Parcela Já faz a gestão dos parcelamentos.

Diz o BNI Europa que para beneficiar deste serviço, o cliente final apenas terá de fazer a compra com o seu cartão de crédito habitual (Visa ou Mastercard), decidindo no terminal, no ato da compra, o parcelamento que pretende fazer, entre 2 e 12 parcelas, diz o comunicado do banco.

Segundo Pedro Pinto Coelho, Presidente Executivo do Banco BNI Europa, “este serviço permitirá ao lojista potenciar as suas vendas de forma significativa e ao consumidor aumentar o seu poder de compra”.

A solução estará disponível em todos os comerciantes que aderirem ao serviço, e o cliente final apenas terá de ser detentor de um qualquer cartão de crédito.

“Este serviço tem vantagens para ambas as partes: comerciantes e clientes- diz Miguel Quintas, CEO da Parcela Já – Os comerciantes recebem o valor na sua totalidade no ato da compra e o cliente final pode fazer o pagamento parcelado no cartão de crédito que que habitualmente usam e de acordo com o número de prestações que escolheu.”

“Esta parceria vem no seguimento das iniciativas inovadoras que estamos a desenvolver de momento, tudo com vista a reforçar a nossa presença no mercado português” – diz Pedro Pinto Coelho.

“O Banco BNI Europa é um banco com uma arquitetura aberta e tem como objetivo estabelecer parcerias deste tipo, quer em Portugal, quer a nível internacional, tendo vindo a receber inúmeros galardões que corroboram a estratégia seguida”, conclui o presidente do banco.

Ler mais
Recomendadas

Vice-governador do BdP diz que orçamento comum é fundamental ao euro

O vice-governador do Banco de Portugal (BdP) Luís Máximo dos Santos defendeu esta sexta-feira que a existência de um orçamento comum a nível europeu é fundamental ao reforço da união monetária europeia.

Novo Banco confirma que a venda da carteira de malparado Nata II foi autorizada pelo Fundo de Resolução

O banco confirma assim a notícia avançada hoje pelo Jornal Económico. O Novo Banco já registou nas contas a venda da carteira de malparado ao fundo Davidson Kempner.

Portugueses recorrem cada vez mais ao crédito. 635 milhões em setembro

Os portugueses recorreram mais ao crédito no mês de setembro num total de 635 milhões de créditos contraídos. De acordo com uma nota publicada pelo Banco de Portugal esta sexta-feira, 15 de novembro, relativa à evolução dos novos créditos aos consumidores, os portugueses pediram um total de 295 milhões de euros em crédito pessoal, num […]
Comentários