Bolsa de Lisboa acompanha Europa e abre a perder

O PSI 20 caiu 0,81%, para 5.583,22 pontos. As restantes praças europeias abriram, da mesma forma, em baixa, devido à crise na lira turca.

José Manuel Ribeiro/Reuters

A bolsa portuguesa abriu a sessão desta segunda-feira, dia 13 de agosto, a negociar em terreno negativo, numa altura em que as praças europeias seguem igualmente pessimistas. O principal índice português, PSI 20, caiu 0,81%, para 5.583,22 pontos, penalizado pela queda da maioria das empresas cotadas. Destaca-se pela negativa o setor da pasta e papel, sobretudo a Navigator, que lidera os recuos.

As ações da Navigator desvalorizam 3,81% na praça lisboeta, para 8,7700 euros, numa altura em que a empresa de pasta e papel poderá ver o lucro líquido deste ano reduzido em 45 milhões de euros e o EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) em 66 milhões de euros devido à atualização da taxa anti-dumping pelos Estados Unidos da América (EUA). Os títulos da Altri e da Semapa desanimam igualmente: perdem 0,78% e 0,91%, respetivamente.

Em terreno negativo estão também: a NOS (-0,48%), a Galp Energia (-0,51%), a BCP (-0,91%), os CTT – Correios de Portugal (-0,93%), a EDP – Energias de Portugal (-0,61%), a Pharol (-0,87%). Em contraciclo, com ganhos, esteve a EDP Renováveis, que avançou os ligeiros 0,06%.

As restantes praças europeias abriram, da mesma forma, em baixa, devido à crise na lira turca. O índice alemão DAX caiu 0,77%, o britânico FTSE 100 registou uma variação negativa de 0,40%, o francês CAC 40 deslizou 0,36%, o holandês AEX depreciou 0,58% e o italiano FTSE MIB resvalou 0,69%, enquanto o espanhol IBEX 35 desvalorizou 0,76%. O Euro Stoxx 50 ficou marcado por uma perda de 0,48%. Já a Ásia havia fechado a última sessão no ‘vermelho’.

No mercado petrolífero, o Brent quebra 0,38% para os 72,53 dólares por barril, e o crude WTI perde 0,35% para os 67,39 dólares. Quanto ao mercado cambial, o euro desvaloriza 0,15% face ao dólar (1,1194) e a libra deprecia 0,16% para 1,2751 dólares.

Notícia atualizada

Ler mais

Recomendadas

“Problemas no setor de aviação convertem-se em oportunidades”, considera CEO da EuroAtlantic

Quais os grandes desafios que o setor da aviação vai ter que ultrapassar? Eugénio Fernandes, CEO da EuroAtlantic, esclarece que a empresa funciona em contraciclo com o mercado e que os problemas no setor convertem-se em oportunidades. Quanto aos problemas, este responsável aponta a falta de pessoal como questão a ultrapassar.

Espanha renova supervisores económicos este ano

Imprensa espanhola refere que Inmaculada Gutiérrez Carrizo deverá ser a próxima presidente da Comissão Nacional de Mercados e Concorrência.

PremiumAltamira vendeu 250 milhões de euros em imobiliário e malparado em 2019

Sociedade tem mais de quatro mil propriedades em Portugal. Eduardo Cerqueira, CEO em Portugal, revelou que o objetivo é “melhorar entre dez a 20 milhões de euros” os resultados de 2019.
Comentários