Bolsa de Lisboa em queda pressionada pelo BCP e Galp

Do lado dos ganhos, a Corticeira Amorim lidera com uma subida de 1,63% para 11,20 euros, seguidos pela EDP que ganha 0,59% para 4,24 euros.

A bolsa de Lisboa está a cair 0,54% para 4.229,31 pontos na sessão desta segunda-feira.

Lá fora, Paris desce 0,97%, Frankfurt recua 1,04% e Madrid perde 0,84% devido ao aumento das preocupações com a subida dos casos por toda a Europa. Países como a Dinamarca e Islândia, assim como a Grécia anunciaram na sexta-feira novas restrições para tentar travar o aumento de casos, segundo a Reuters. Já a Grã-Bretanha está a considerar um novo confinamento a nível nacional.

A liderar as quedas está a Pharol que desce 3,02% para 0,11 euros. Segue-se a Mota-Engil que perde 2,36% para 1,24 euros e o BCP que recua 1,87% para 0,09 euros.

Já a Altri desce 1,70% para 4,17 euros, enquanto a Galp recua 1,24% para 8,60 euros.

Do lado dos ganhos, a Corticeira Amorim lidera com uma subida de 1,63% para 11,20 euros, seguidos pela EDP que ganha 0,59% para 4,24 euros.

Entre as cotadas mais negociadas, destaque para a Galp com 573 mil ações negociadas, para a EDP com 567 mil e para o BCP com 332 mil.

 

  • Notícia corrigida: a cotação dos CTT estava incorreta e foi substituída pela da Corticeira Amorim.
Ler mais

Recomendadas

PSI 20 penalizado pelos prejuízos da Galp no arranque da sessão

O PSI 20 acompanha também a tendência das principais congéneres europeias, numa altura em que o número de infetados com o novo coronavírus continua a aumentar na Europa.

Topo da agenda: o que não pode perder na economia e nos mercados esta semana

A semana será marcada pela discussão e votação na generalidade do Orçamento do Estado para 2021. Os analistas e investidores estarão ainda atentos à reunião do Banco Central Europeu e aos sinais que chegam sobre a economia, através da publicação da estimativa rápida do PIB da zona euro, do terceiro trimestre.

Preço do petróleo mantém-se baixo para além de 2021, considera Banco Mundial

“Os preços do petróleo devem aumentar muito gradualmente face aos níveis atuais e chegar a uma média de 44 dólares em 2021, subindo face aos estimados 41 dólares por barril este ano, num contexto de uma recuperação lenta da procura e um abrandamento nas restrições à oferta”, lê-se no relatório sobre a evolução das matérias-primas.
Comentários