Bolsa de Nova Iorque inicia negociações de setembro em baixa

Após um fim de semana prolongado em Wall Street, os três principais índices bolsistas norte-americanos arrancaram em terreno negativo. É a primeira reação dos mercados à entrada em vigor de mais tarifas aos produtos da China.

Reuters

Após um fim de semana prolongado em Wall Street, os mercados financeiros norte-americanos deram as boas-vindas a setembro com desânimo. A Bolsa de Nova Iorque arrancou a sessão desta terça-feira em terreno negativo, com os investidores a mostrarem a primeira reação à entrada em vigor das novas tarifas aos produtos oriundos da China.

“É natural que o tema da trade war volte a estar em pano de fundo. Notas de última hora dão conta de que o vice-primeiro ministro chinês referiu que o país se opõe firmemente a uma guerra comercial, esperando chegar portanto a um entendimento”, explica Ramiro Loureiro, trader do Millennium bcp.

A partir de anteontem, cerca de 300 mil milhões de euros de mercadorias oriundas da China começaram a ter de pagar mais 15% de taxas alfandegárias. Ao todo são mais de dois terços dos bens de consumo que os Estados Unidos da América importam da China são agora alvo de impostos mais elevados, de acordo com o Departamento de Comércio norte-americano.

Os principais índices de Wall Street começaram o dia no ‘vermelho’, com o industrial Dow Jones a cair neste momento 1,08%, para os 26.118,44 pontos, o financeiro S&P 500 a deslizar 0,65%, para os 2.907,38 pontos e o tecnológico Nasdaq a recuar 0,44%, para os 7.927,53 pontos. Já o Russel 2000 está a ser marcado por uma perda de 0,51%, para os 1.485,69 pontos.

Em termos macroeconómicos, às 15h00 serão divulgados os dados de evolução da atividade industrial norte-americana. Segundo as previsões dos analistas, o índice PMI (‘Purchasing Managers Index’) deverá cair para  51,1 em agosto, face aos 51,2 registados no mês anterior.

Já a nível empresarial, a Amazon sobe 0,13%, depois de ter sido revista em alta pelo RBC Capital Markets.

A cotação do barril de Brent está a desvalorizar 2,08%, com valor de 57,44 dólares, enquanto a cotação do crude WTI tomba 3,39%, para 53,23 dólares por barril. Quanto ao mercado cambial, o euro deprecia 0,19% face ao dólar (1,0945) e a libra desvaloriza 0,29% perante a divisa dos Estados Unidos (1,2031).

Ler mais

Recomendadas

Wall Street aguenta, mas perdeu fôlego ao longo do dia

Os principais índices do outro lado do Atlântico estiveram a subir, mas no final do dia acabaram por ceder. Mesmo assim, dizem os analistas, os investidores continuam a confiar em novos estímulos à economia.

Sexta sessão em queda. Bolsa de Lisboa penalizada por perdas do BCP e Galp

Num quadro pintado de encarnado, a EDP Renováveis e a Sonae sobressaíram pela positiva, ao subirem ambas cerca 0,20%. Nas restantes praças europeias, igualmente pessimistas, destacam-se as transações de M&A da banca espanhola – desta feita, entre o Unicaja e o Liberbank.

Depois das fortes quedas de quarta-feira, Wall Street abre em baixa

As inscrições no desemprego nos Estados Unidos aumentaram na última semana, sugerindo uma recuperação mais lenta do mercado laboral devido às medidas restritivas para limitar a propagação de covid-19, indicam os números divulgados hoje.
Comentários