Bolsa de Valores de Cabo Verde sugere união dos Fundos do Ambiente, Turismo e Rodoviário

Emanuel Lima considera que esta pode ser a solução para grandes investimentos em Cabo Verde.

O presidente da Bolsa de Valores de Cabo Verde (BVCV), Emanuel Lima, defende que a alavancagem de fundos financeiros é o mecanismo que melhor se ajusta às atuais necessidades de financiamento em Cabo Verde. Emanuel Lima propõe que se juntem os Fundos do Ambiente, Turismo e Rodoviário.

A proposta do presidente da BVCV foi apresentada numa mesa redonda sobre o tema: “acelerando a dinâmica de crescimento com base na alavancagem dos fundos, que se realizou esta quarta-feira na sede desta instituição, na cidade da Praia. O evento contou com a presença de altos quadros de instituições financeiras e do primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva.

O presidente da BVCV entende que os Fundos do Ambiente, Turismo e Rodoviário podem ser a solução para grandes investimentos em Cabo Verde. Emanuel Lima entende que a “alavancagem” ou “titularização” de crédito responde as necessidades do governo de acelerar a dinâmica de crescimento.

“A ideia não é ir buscar ou alavancar a totalidades destes fundos, mas apenas uma parte, porque pode haver aumento e diminuição da procura e, assim, este risco é mitigado. O que se pretende é numa perspetiva semestral ir pagando o capital e juros e não deixar tudo para o fim”, disse.

A legislação existente não permitia que um fundo fosse dado como garantia, explica Lima, que aponta que já foram “removidos estes constrangimentos” a fim de permitir que quem compra saiba que em função das receitas futuras serão canalizadas para o cupão em juro”.

Um tipo de financiamento “bastante utilizado” a nível da União Europeia e de outros países. Para Emanuel Lima, os riscos deste tipo de financiamento foram ultrapassados e a utilização de parte destes três fundos vai motivar grandes investimentos no país.

“ A ideia é juntar a esta solução o mecanismo de “Market making” – ou seja: pode-se comprar hoje e vender amanhã, no sentido de termos mais pessoas beneficiadas com isso e fazer com que todos beneficiem com o turismo. Se, por um lado, temos receita do turismo, por outro lado, quem investe vai receber as receitas do turismo.”, defendeu.

O exercício inicial foi feito com o Fundo do Turismo, mas aquilo que se percebeu é que há menos riscos em juntar os três fundos do que ficar apenas com um, referiu o presidente da BVCV. Emanuel Lima aponta que a proposta é de que o valor máximo de financiamento seja 18 milhões de contos.

A alavancagem é um instrumento financeiro, cujo o nome é Titularização de Crédito que permite aos países irem de imediato obter os financiamentos para as suas políticas públicas, e as receitas futuras servirão para pagar os juros e o cupão deste financiamento.

Ler mais
Recomendadas

Cerimónia fúnebre de Dom Paulino Évora reúne centenas de pessoas na Praia

A ilha de Santiago disse adeus ao primeiro bispo de Cabo Verde. Dom Paulino Évora foi ordenado sacerdote em Portugal em 1962.

Jogos Africanos de Praia fazem de Cabo Verde destino desportivo

“Esta aposta vale a pena porque está dentro da estratégia de tornar Cabo Verde num país relevante no mundo de organizações de eventos desportivos”, disse o ministro do Desporto cabo-verdiano.

Empresas privadas com “expectativas enormes” sobre fórum de investimento em Cabo Verde

O Cabo Verde Investment Forum está agendado para os próximos dias 1, 2 e 3 de julho. “A questão do financiamento continua a ser um dos grandes desafios para o sector privado nacional”, disse o secretário-geral da Câmara de Comércio de Sotavento.
Comentários