Bolsa nacional acompanha Europa, dominada pelo tema Brexit

Em Lisboa, há quinze empresas cotadas a negociar em alta, uma em baixa e duas sem variação.

O principal índice bolsista português (PSI 20) soma 0,57%, para 5.005,61 pontos, em linha com as principais congéneres europeias esta segunda-feira, 21 de outubro. O Brexit domina as atenções depois do parlamento britânico ter aprovado no sábado uma emenda que suspendeu a votação do acordo assinado entre Boris Johnson e a União Europeia.

Os deputados britânicos aprovaram a emenda Letwin (322 votos favoráveis e 306 contra) que suspende a aprovação do acordo de saída do Reino Unido da União Europeia até que a legislação que implementa o acordo seja aprovado no parlamento. Depois desta votação, Boris Johnson viu-se obrigado, devido à “Lei Benn”, a remeter a Bruxelas uma carta a pedir que a data do Brexit seja prolongada para lá de 31 de outubro. A legislação que implementa o acordo deverá agora ser votada durante esta semana.

Em Lisboa, há quinze empresas cotadas a negociar em alta, uma em baixa e duas sem variação. Destaque para o grupo EDP, que foi alvo de uma revisão em alta por parte do JP Morgan, e para a Moata-Engil que decidiu aumentar o valor da emissão de obrigações para o retalho.

A Mota-Engil decidiu aumentar o valor da oferta pública de subscrição de obrigações que está a decorrer, um sinal de que a procura pelos títulos está a ser elevada. A construtora pretende agora emitir até 140 milhões de euros, quase o dobro do anunciado quando a operação foi lançada (75 milhões de euros).

O JPMorgan melhorou a recomendação das ações da EDP de “neutral” para “overweight” e o preço-alvo de 3,45 euros para 4,00 euros, noticiou a Bloomberg. A nova avaliação representa uma subida de 16% no preço-alvo e incorpora um potencial de valorização 14% face à cotação de sexta-feira das ações da EDP (3,52 euros). A empresa liderada por António Mexia soma 0,43%, para 3,53.

A Mota-Engil, por sua vez, decidiu aumentar o valor da oferta pública de subscrição de obrigações que está a decorrer, um sinal de que a procura pelos títulos está a ser elevada. A construtora pretende agora emitir até 140 milhões de euros, quase o dobro dos 75 milhões de euros anunciados. Esta é uma prática comum entre os emitentes, que esperam pelo desenrolar da oferta para perceberem qual está a ser a procura e, assim, fixar o montante máximo a emitir. A construtora avança 1,14%, para 1,95 euros.

Os títulos das papeleiras Altri (1,49%) e Navigator (1,41%) e do BCP (1,60%) também impulsionam o PSI 20.

Ler mais

Recomendadas

Quer vender a sua casa rapidamente? Tenha atenção a estes quatro pontos

O BCE indica que os juros dos novos créditos de habitação estão abaixo de 1% e a Housefy sustenta que este é um “período historicamente favorável” para o financiamento. Quais são os truques para vender a sua habitação?

Confrontos em Hong Hong e receios sobre a guerra comercial abalam Wall Street

Os três principais índices abriram no ‘vermelho, invertendo os ganhos ligeiros registados no fecho da sessão de ontem. Depois das palavras de Donald Trump, os investidores aguardam agora o discurso de Jerome Powell, que intervirá no Comité Económico do Congresso às 16h00 e amanhã no Comité Bancário do Senado.

E agora algo completamente diferente em Wall Street

Para sexta-feira estão guardados os números das vendas a retalho, igualmente importantes visto que dão indícios sobre a robustez do consumo privado, o principal sustento do crescimento económico.
Comentários