Boris Johnson insultou franceses mas ministério pediu para retirar frase polémica

Informação sobre a ofensa aos franceses surge numa altura em que os críticos atacam Johnson, devido ao seu carácter imprevisível e pouco confiável. Ainda assim, a popularidade de Boris Johnson permanece alta entre o Partido Conservador e os britânicos.

É o favorito para se tornar o próximo primeiro-ministro britânico mas isso não afasta Boris Johnson das polémicas. O episódio em questão aconteceu o ano passado, mas só agora se tornou público, relata o ‘Daily Mail’ esta sexta-feira.

Durante a gravação de um documentário da BBC, Boris Johnson chamou merd** aos franceses, algo que a estação televisiva eliminou a pedido do Ministério das Relações Exteriores.

De acordo com o jornal, o então ministro responsável pela pasta das Relações Exteriores disse que os cidadãos franceses se comportavam como merd** em relação aos acontecimentos do Brexit. O mesmo ‘Daily Mail’ revelou então que o ministério pediu para retirar por excerto da gravação por temer repercussões do país.

“O programa foi concebido para refletir a vida no Ministério das Relações Exteriores. A equipa de produção tomou decisões sobre o conteúdo e está convencida de que o programa atingiu os seus objetivos e tem o conteúdo desejado”, revelou um porta-voz da BBC.

O documentário intitulado ‘Dentro do Foreign Office’ foi emitido em novembro de 2018 pelo canal ‘BBC Two’, e era constituído por três partes.

A informação sobre a ofensa aos franceses surge numa altura em que os críticos atacam Johnson, devido ao seu carácter imprevisível e pouco confiável. Ainda assim, a popularidade de Boris Johnson permanece alta entre o Partido Conservador e os britânicos.

Boris Johnson despediu-se do governo em julho do ano passado por discordar da estratégia do Brexit com a primeira-ministra Theresa May. Atualmente, está a concorrer contra Jeremy Hunt e é o favorito para ocupar o lugar de May em Downing Street.

Ler mais
Recomendadas

Banco central baixa previsão sobre queda da economia brasileira para 5%

As novas estimativas estão em linha com as projeções de agentes do mercado consultados semanalmente pelo Banco Central, que prevê uma retração económica de 5,05% no PIB brasileiro em 2020. O Brasil ainda recupera de uma grave recessão entre os anos de 2015 e 2016, período em que o PIB caiu sete pontos percentuais.

Rússia anuncia que vai cooperar com o Irão

O ministro das Relações Exteriores russo disse que o seu país iniciará imediatamente a cooperação com o Irão assim que o embargo sobre a venda de armas expirar – o que acontecerá em outubro.

Angola: Manuel Vicente denuncia manobra de diversão

O ex-vice-presidente de Angola Manuel Vicente negou ter-se apropriado de 193 milhões de euros da Sonangol, como denunciou o antigo gestor de Isabel dos Santos, e apelida a acusação de “indecorosa manobra de diversão”.
Comentários