BPI vende ações da Sonae SGPS e reduz participação para 4,802%

Antes desta venda, o BPI tinha 100.211.121 ações da Sonae SGPS, representativas de 5,011% do capital do grupo liderado por Cláudia Azevedo.

Jose Manuel Ribeiro/Reuters

O banco BPI vendeu fora de bolsa 4.1756.332 ações da Sonae SGPS, reduzindo a sua participação de 5,011% para 4,802%, revela uma comunicação da instituição financeira à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Antes desta venda, o BPI tinha 100.211.121 ações da Sonae SGPS, representativas de 5,011% do capital do grupo liderado por Cláudia Azevedo.

A venda de ações fora de bolsa teve lugar na terça-feira, segundo o comunicado divulgado pela CMVM na noite de sexta-feira.

Na sexta-feira, no encerramento da bolsa de Lisboa, as ações da Sonae SGPS registaram uma queda de 1,16%, cotando-se a 0,94 euros por título.

O Banco BPI é parte do Grupo CaixaBank, que detém 100% do capital do BPI.

 

Ler mais
Recomendadas

Banco de Portugal adopta ‘energia verde’ nos seus edifícios

“A transição para a nova forma de consumo de energia deverá estar concluída ainda durante o primeiro trimestre deste ano. Com esta medida, o Banco tem como objetivo reduzir a sua pegada de carbono”, explica a instituição

BCE pede aos bancos que evitem “distorcer” resultados de testes de stress

A cada dois anos, a Autoridade Bancária Europeia e o BCE realizam os chamados testes de stress a 50 bancos da União Europeia para medir a força das entidades bancárias em diferentes cenários de stress, como uma crise, por exemplo.

Haitong encaixou ganho de 1,97 milhões com venda de subsidiária na Irlanda

Com esta transação, o Haitong Bank reforçou significativamente a qualidade dos seus ativos e o rácio de NPL (“Non-Performing Loans”) passou a situar-se abaixo dos 5%, adianta o banco.
Comentários