Brasil deverá ultrapassar marca dos 100 mil mortos este fim de semana

Segundo as estimativas do consórcio de jornalistas brasileiro, demorou cerca de três meses até serem contabilizadas as primeiras 50 mil mortes e apenas 50 dias para que esse valor se voltasse a repetir.

REUTERS/Diego Vara

O número de mortes por Covid-19 no Brasil deverá ultrapassar os 100 mil neste fim de semana.

As estimativas foram feitas pelo consórcio de meios de comunicação social, para o jornal “Globo”dá 99.743 óbitos registados e 2.967.634 diagnósticos da doença provocada pelo novo coronavírus.

A Covid-19 é o surto mais letal no país desde a gripe espanhola, há um século. O primeiro caso confirmado foi registado no final de fevereiro e demorou três meses até que 50 mil pessoas morressem. Cerca de 50 dias depois, as estimativas apontam para que morram mais 50 mil.

O presidente Bolsonaro, no entanto, tem sempre minimizado a gravidade da doença causada pelo vírus, defendendo a flexibilização do isolamento social e, múltiplas vezes, provocou aglomerações, quando saiu à rua, abraçando pessoas e tirando fotografias. Até mesmo quando ficou doente com covid-19, não se coibiu de fazer acções de campanha eleitoral.

“Devíamos viver em desespero, porque esta é uma tragédia como uma guerra mundial. Mas o Brasil está sob anestesia coletiva ”, disse o Dr. José Davi Urbaez, membro sénior da sociedade de Doenças Infecciosas à “Reuters”.

 

Ler mais
Recomendadas

Rússia anuncia que vai cooperar com o Irão

O ministro das Relações Exteriores russo disse que o seu país iniciará imediatamente a cooperação com o Irão assim que o embargo sobre a venda de armas expirar – o que acontecerá em outubro.

Angola: Manuel Vicente denuncia manobra de diversão

O ex-vice-presidente de Angola Manuel Vicente negou ter-se apropriado de 193 milhões de euros da Sonangol, como denunciou o antigo gestor de Isabel dos Santos, e apelida a acusação de “indecorosa manobra de diversão”.

Orçamento da CPLP para 2021 terá “crescimento zero” mas redução de custos

O orçamento da organização, suportado pelas contribuições dos seus nove Estados-membros, foi de 2.734.731,15 euros para o exercício de 2020. O Conselho de Ministros extraordinário deve realizar-se entre 7 e 9 de dezembro.
Comentários