Brexit. Governo britânico ameaça deportar cidadãos europeus sem estatuto de residente

“As regras de imigração serão aplicadas”, garantiu o ministro da Segurança Interna. Os números do Ministério do Interior mostram que um milhão de cidadãos da UE no Reino Unido, ainda não se candidataram ao estatuto que lhes garante permanecerem no Reino Unido.

Andrew Boyers / Reuters

O ministro britânico da Segurança, Brandon Lewis, alertou os cidadãos da União Europeia (UE) residentes no Reino Unido que estão em risco de serem deportados caso não solicitem o estatuto de residente de modo a ficarem protegido depois do Brexit.

Os números do Ministério do Interior mostram que um milhão, dos estimados três milhões dos cidadãos da UE no Reino Unido, ainda não se candidataram ao estatuto que lhes garante continuarem no Reino Unido. Numa entrevista ao jornal alemão Die Welt, Lewis afirmou que essas pessoas corriam o risco de serem deportadas se não se candidatassem até o final de 2020.

“Se os cidadãos da UE ainda não se registaram sem uma justificação adequada, as regras de imigração serão aplicadas”, cita o The Guardian, esta quinta-feira, as declarações de Lewis.

O ministro foi questionado sobre se o mesmo se aplicaria aqueles que se candidataram nos últimos 14 meses e não obtiveram resposta, mesmo que cumprissem todas as condições legais para obter uma autorização de residência. “Teoricamente sim”, afirmou. “Serão aplicadas as mesmas regras”, garantiu.

Os ativistas do The3million, um grupo que representa cidadãos da UE que vivem no Reino Unido, contestaram que os comentários do ministro sugeriam que o governo poderá vir a renegar a promessa de permanecer no país aos cidadãos da UE.

Dois milhões de europeus já pediram para ficar no Reino Unido

Os últimos dados referentes ao mês de setembro indicam que mais de dois milhões de pessoas pediram para permanecer no Reino Unido após o Brexit.

Os dados indicam que um em cada seis cidadãos europeus no Reino Unido entregou um pedido para se manter em território britânico. O Ministério do Interior britânico afirma que, até ao dia 30 de setembro, constavam na lista nomes de cidadãos da zona económica europeia, União Europeia e Suíça.

O maior número de pedidos foi proveniente da Polónia, com 345 mil assinaturas, seguido pela Roménia e por Itália.

O mesmo ministério indica que só no mês de setembro foram recebidos mais de 520 mil pedidos. Os responsáveis acreditam que a ameaça de um Brexit sem acordo tenha potenciado a corrida aos pedidos, embora os cidadãos europeus tenham até 31 de dezembro de 2020 para preencher os papéis para ficar em território britânico.

 

Ler mais
Recomendadas

Parlamento Europeu aprova medidas para atenuar efeitos de um Brexit sem acordo

Os eurodeputados aprovaram um conjunto de medidas que têm como objetivo prorrogar propostas de contingência relativas ao orçamento da UE, aos transportes e às pescas e assegurar apoio financeiro aos mais afetados por um Brexit sem acordo.

“Uma perda de tempo e energia”. Juncker critica impasse do Brexit

O processo de divórcio entre o Reino Unido e os 27 está dependente da sessão parlamentar desta tarde, na Câmara dos Comuns. Até que se chegue a um consenso em Westminster, os eurodeputados no Parlamento Europeu não deverão aprovar o acordo do Brexit.

Brexit: este foi o acordo que a Câmara dos Comuns se recusou a debater novamente

Para perceber o que representa a saída do Reino Unido da União Europeia, há que entender os quatro pontos fundamentais em que se baseia o acordo de saída. Câmara dos Comuns recusou debater e votar novamente este acordo.
Comentários