Brexit sem acordo é mais provável com Boris Johnson em Downing Street, alertam analistas

Analistas acreditam que Jeremy Hunt, ministro dos Negócios Estrangeiros e que é a favor de um Brexit com acordo, tem poucas hipóteses de vencer Boris Johnson nas eleições internas do Partido Conservador para a substituição de Theresa May.

Os analistas do Société Générale atualizaram os seus pontos de vista sobre as negociações da saída do Reino Unido da União Europeia (UE), e apontam como cenário mais provável um Brexit sem acordo, segundo revela o jornal “Expansión” esta segunda-feira.

Brian Hilliard, economista do banco francês em Londres, vê na chegada de Boris Johnson a Downing Street para substituir Theresa May, como um aumentar das probabilidades de uma saída “caótica” da UE com uma percentagem de 43%.

Em relação aos outros cenários, a entidade bancária dá 37% para um Brexit com acordo, e 20% para uma inversão total de todo o processo, com o Reino Unido a permanecer na União Europeia. Um cenário que pode acontecer caso o Parlamento trave as intenções de Boris Johnson e force um novo referendo, ou se uma coligação dos deputados trabalhistas e liberais chegarem ao poder com o lançamento de um outro referendo.

Os analistas acreditam que Jeremy Hunt, ministro dos Negócios Estrangeiros e que é a favor de um Brexit com acordo, tem poucas hipóteses de vencer Boris Johnson nas eleições internas do Partido Conservador para a substituição de Theresa May. “A posição do primeiro-ministro parece garantida para Boris Johnson, desde que este evite escândalos nas próximas semanas”, refere Brian Hilliard.

Em outras empresas as previsões são menos pessimistas. O JPMorgan concede 25% de probabilidades de um Brexit sem acordo. Segundo Constantine Fraser, da TS Lombard, “um Brexit sem acordo ainda é muito improvável”.

Na opinião deste analista o cenário mais provavél é de que haverá uma eleição ou referendo no inverno para romper o bloqueio existente se não houver acordo para deixar a União Europeia a 31 de outubro.

Ler mais
Relacionadas

Sondagem mostra Boris Johnson como o melhor amigo dos independentistas escoceses

Textos antigos do candidato a líder dos conservadores britânicos podem ter um profundo efeito nas fronteiras do Reino Unido quando chegar a primeiro-ministro.

Reino Unido: Pode a vida privada de Boris Johnson impedi-lo de chegar a primeiro-ministro?

A polícia foi chamada ao apartamento onde vive o candidato à liderança do partido conservador depois dos vizinhos terem ouvido uma discussão entre Boris Johnson e a sua parceira. O tema está a dominar as notícias no Reino Unido e o seu adversário à liderança dos ‘tories’ já o criticou.

Brexit. Banco de Inglaterra rejeita teoria de Boris Johnson e avisa que Reino Unido vai ser penalizado com taxas alfandegárias

O governador do banco central de Inglaterra afirma que cerca de 150 mil empresas ainda não têm a documentação necessária para continuar a exportar para a União Europeia num cenário de um Brexit sem acordo.

Boris, o homem das bananas

Um veterano da cobertura noticiosa das lides europeias em Bruxelas contou-me, por alturas do referendo ao Brexit, uma história caricata.
Recomendadas

Cerca de 7000 pessoas em fuga do Níger

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados refere que estas pessoas estão em fuga devido à insegurança e à violência gerada por um ataque à cidade de Chinégodar.

Líbia: Merkel diz que houve acordo para respeitar embargo das armas

A chanceler da Alemanha diz que o embargo será controlado de forma mais rigorosa do que antes.

“Racismo” e “preconceito”. Isabel dos Santos reage a investigação jornalística a nível mundial

Os Luanda Leaks têm 715 mil documentos, entre e-mails, contratos, auditorias, e contas que foram obtidas por uma plataforma de denunciantes em África (PPLAAF), que depois foi partilhada com a ICIJ.
Comentários