Bruxelas dá luz verde à compra da SIVA pela Porsche

Bruxelas concluiu que a proposta da Porsche não levanta quaisquer problemas de concorrência.

A Comissão Europeia autorizou esta quarta-feira, 24 de julho, a aquisição das portuguesas SIVA e Soauto pela austríaca Porsche Holdings, um negócio que tinha sido anunciado em maio.

Segundo um comunicado do executivo comunitário, a Porshe Holding Salzburg vai assumir o controlo total da Sociedade de Importação de Veículos Automóveis S.A. (SIVA), que comercializa as marcas Volkswagen, Audi e Skoda, e da Soauto SGPS S.A.

A Porsche Holding Salzburg é controlada pelo Grupo Volkswagen, que, tal como as empresas agora formalmente adquiridas em Portugal, integram o mercado grossista e a retalho de veículos de passageiros, equipamentos e peças, bem como serviços de reparação.

Bruxelas concluiu que a proposta da Porsche não levanta quaisquer problemas de concorrência.

Relacionadas

É oficial: já há acordo para a Porsche comprar a SIVA por 1 euro

A SIVA vai ser vendida aos alemães da Porsche Holding, a distribuidora de automóveis do grupo Volkswagen. A operação também foi aceite pelo BCP, pela CGD e pelo Novo Banco, que são credores da SAG e da SIVA. João Pereira Coutinho lança uma OPA sobre a SAG, para tirar empresa de bolsa.

Compra da SIVA pela Porsche: Banca perdoa 116 milhões

A operação da venda da SIVA só se tornou possível depois de a banca ter perdoado 16.049.634 de euros de dívida bancária à SAG e 100 milhões à SIVA, decorrentes de dois processos especiais de revitalização com o apoio dos bancos credores.

PremiumPorsche assume menos de 100 milhões de dívida bancária na SIVA

Além de pagar um euro por nove firmas da SAG, entre as quais a SIVA, que importa carros da Volkswagen, a Porsche assume a dívida bancária remanescente.

Porsche quer assumir gestão da SIVA até ao fim do ano

“A médio prazo, Portugal irá ser uma das nossas maiores operações de importação com cerca de 30.000 novos veículos por ano”, disse o CEO da Porsche Holding Salzburg, Hans Peter Schützinger.
Recomendadas

BNI Europa agravou prejuízos para 6,6 milhões de euros até junho

O ativo líquido total era em junho passado de 351,5 milhões de euros, neste caso menos 66,5 milhões de euros face a junho de 2019.

Banco de Portugal obriga financeiras em regime de livre prestação de serviços a reporte

Centenas as instituições estão registadas em Portugal como instituições de crédito da União Europeia em regime de livre prestação de serviços e entidades de moeda eletrónica com sede na Europa em regime de livre prestação de serviços, caso dos bancos digitais N26, Openbank ou Revolut.

Transportes Metropolitanos de Lisboa aprovado pelo Conselho Metropolitano

A Área Metropolitana de Lisboa detém a totalidade da empresa, que vai o património da empresa OTLIS – Operadores de Transportes da Região de Lisboa.
Comentários