Cabo Verde: Empresas geraram 262 milhões de contos em 2016

O Inquérito às empresas em Cabo Verde referente a 2016, divulgado esta sexta-feira, 27, pelo INE, revela que houve um aumento de 10 milhões de contos no volume de negócios face a 2015. Santiago, Sal, São Vicente e Boa Vista são as ilhas que mais contribuem para a economia nacional, originando também mais empregos.

 

O Instituto Nacional de Estatística divulgou esta manhã, 27, o relatório de Inquérito às Empresas referentes ao ano 2016. De acordo com o documento, o volume de negócios gerado para o total da economia, ultrapassou os 262,2 milhões de contos (10,6 milhões de contos a mais do que em 2015), o que significa um crescimento de 4,2 % em relação a 2015.

O sector de Construção Civil, que recuperou de algum marasmo, foi determinante para essa cifra, porquanto conseguiu crescer o seu volume de negócios em 71,1% quando comparado com 2015. Na prática, essa evolução no sector da construção fez render mais 12,5 milhões de contos do que em 2015.

Entretanto, a maior parte das empresas estão no sector do Comércio (46,5%), que, por isso, emprega mais pessoas (23,4 %) e gerou, no total, mais dinheiro (36,8 %). A Hotelaria e Restauração foi a segunda actividade que concentrou o maior número de empresas (15,1 %) e de pessoas empregadas (21,7 %), sendo também este sector o terceiro que mais contribuiu para o volume de negócios (11,5 %).

Note-se que persiste uma clara e massiva concentração da actividade empresarial nas ilhas de Santiago, São Vicente, Sal e Boa Vista, que acolhem 78,3 % do total de empresas activas em 2016, ocupando 91,7 % do total de pessoas empregadas e acumulando 97,0 % do volume de negócio gerado para o total da economia Cabo-verdiana, informa o INE. Só a ilha de Santiago, a maior do arquipélago, alberga 44,9% das empresas do país.

Acrescenta o documento do INE que o sector empresarial garante o emprego de 55.892 pessoas (mais 3.109 do que em 2015), representando um aumento de 5,9 % em relação a 2015. Destaque aqui para o sector da Hotelaria e Restauração, que cresceu 21,9 % face a 2015, empregando mais 2.182 pessoas em 2016.

 





PUB
PUB
PUB