Cabo Verde quer 100% de veículos elétricos a circular nas estradas até 2050

Nos próximos tempos, Cabo Verde pretende construir um parque eólico de 10 megawatts na ilha de Santiago e outro solar na ilha da Boavista.

 

Cabo Verde quer que as nas estradas do país circulem 100% de veículos elétricos até 2050. O anúncio foi feito pelo ministro da Energia cabo-verdiano, Alexandre Monteiro, à margem da terceira reunião do Comité de Pilotagem do Programa de Apoio ao Setor de Energias Renováveis, (POSER), na cidade da Praia.

Segundo o ministro da Energia, a introdução de carros elétricos em Cabo Verde está na fase inicial com a chegada dos primeiros veículos. Neste momento, já estão em Cabo Verde os sete primeiros carros elétricos adquiridos num consorcio que juntou a cooperação luxemburguesa, ELECTRA, o Centro de Energias Renováveis e Manutenção Industrial (CERMI) e as empresas GIZ e APP.

Mas o Governo acredita que, nos próximos anos, vai aumentar o número dessas viaturas que circulam nas estradas do país, para que em 2050 se atinja 100% de veículos elétricos. “Esta é a visão que faz parte da carta politica aprovada recentemente em Conselho de Ministros e que será apresentada publicamente, no próximo dia 7 de fevereiro”, disse Alexandre Monteiro.

“Existe um plano de mobilidade elétrica que está integrada na estratégica de transição energética de mais penetração de energias renováveis que serão levadas para o sistema de transporte, reduzindo assim custos e contribuir para mais penetração de energia renováveis”, acrescentou o governante, em declarações aos jornalistas.

O responsável pela pasta da Energia refere que existe um conjunto de medidas que integra o Plano de Mobilidade elétrica, a ser apresentado brevemente, bem como outras a serem materializadas em breve, como é caso a isenção de taxa aduaneira para quem importar veículos eléctricos: “Os direitos aduaneiros que os outros veículos pagam os elétricos ficam isentos”, explicou.

O ministro da Energia apontou que para o concurso para instalação de novos parques eólicos e solares nas ilhas de Santiago e da Boa Vista, que terminou esta quarta-feira, 30 de janeiro, concorreram “mais de trinta empresas de todos os continentes”, o que demostra “ confiança no país e na politica energética que esta a ser desenvolvida”.

De acordo com o que está estabelecido no plano de mobilidade elétrica, nos próximos tempos, Cabo Verde pretende construir um parque eólico de 10 megawatts (MW) na ilha de Santiago e 5MW solar na ilha da Boavista, e novos concursos serão lançados para concretizar o que está previsto, refere o ministro Alexandre Monteiro.

A nova meta do governo cabo-verdiano é até 2030 superar a penetração de energia renováveis para alem dos 50% numa lógica de “ máxima penetração com menos custo”, de acordo com a mesma fonte do executivo.

Ler mais
Recomendadas

Portuguesa Transinsular promete ligações regulares entre ilhas de Cabo Verde e foco no passageiro: “Carga passa a secundária”

Em entrevista ao Económico Cabo Verde, Joaquim Figueiredo, ‘chairman’ da empresa, revela que mantém “um diálogo muito positivo com os armadores cabo-verdianos. A nova sociedade que gere a concessão do serviço público de transporte marítimo de passageiros e carga inter-ilhas chama-se CV Interilhas e é liderada pela Transinsular.

Cabo Verde Airlines voa para Nigéria a partir de dezembro

A companhia área cabo-verdiana, Cabo Verde Airlines, vai começar a operar para a cidade nigeriana de Lagos.

Binter muda de nome para Transportes Interilhas de Cabo Verde

A Binter Cabo Verde, transportadora aérea que até a semana passada era a única a fazer as ligações inter-ilhas no arquipélago, mudou o nome para Transportes Interilhas de Cabo Verde, conforme publicação no Boletim Oficial.
Comentários