Cabo Verde quer 100% de veículos elétricos a circular nas estradas até 2050

Nos próximos tempos, Cabo Verde pretende construir um parque eólico de 10 megawatts na ilha de Santiago e outro solar na ilha da Boavista.

 

Cabo Verde quer que as nas estradas do país circulem 100% de veículos elétricos até 2050. O anúncio foi feito pelo ministro da Energia cabo-verdiano, Alexandre Monteiro, à margem da terceira reunião do Comité de Pilotagem do Programa de Apoio ao Setor de Energias Renováveis, (POSER), na cidade da Praia.

Segundo o ministro da Energia, a introdução de carros elétricos em Cabo Verde está na fase inicial com a chegada dos primeiros veículos. Neste momento, já estão em Cabo Verde os sete primeiros carros elétricos adquiridos num consorcio que juntou a cooperação luxemburguesa, ELECTRA, o Centro de Energias Renováveis e Manutenção Industrial (CERMI) e as empresas GIZ e APP.

Mas o Governo acredita que, nos próximos anos, vai aumentar o número dessas viaturas que circulam nas estradas do país, para que em 2050 se atinja 100% de veículos elétricos. “Esta é a visão que faz parte da carta politica aprovada recentemente em Conselho de Ministros e que será apresentada publicamente, no próximo dia 7 de fevereiro”, disse Alexandre Monteiro.

“Existe um plano de mobilidade elétrica que está integrada na estratégica de transição energética de mais penetração de energias renováveis que serão levadas para o sistema de transporte, reduzindo assim custos e contribuir para mais penetração de energia renováveis”, acrescentou o governante, em declarações aos jornalistas.

O responsável pela pasta da Energia refere que existe um conjunto de medidas que integra o Plano de Mobilidade elétrica, a ser apresentado brevemente, bem como outras a serem materializadas em breve, como é caso a isenção de taxa aduaneira para quem importar veículos eléctricos: “Os direitos aduaneiros que os outros veículos pagam os elétricos ficam isentos”, explicou.

O ministro da Energia apontou que para o concurso para instalação de novos parques eólicos e solares nas ilhas de Santiago e da Boa Vista, que terminou esta quarta-feira, 30 de janeiro, concorreram “mais de trinta empresas de todos os continentes”, o que demostra “ confiança no país e na politica energética que esta a ser desenvolvida”.

De acordo com o que está estabelecido no plano de mobilidade elétrica, nos próximos tempos, Cabo Verde pretende construir um parque eólico de 10 megawatts (MW) na ilha de Santiago e 5MW solar na ilha da Boavista, e novos concursos serão lançados para concretizar o que está previsto, refere o ministro Alexandre Monteiro.

A nova meta do governo cabo-verdiano é até 2030 superar a penetração de energia renováveis para alem dos 50% numa lógica de “ máxima penetração com menos custo”, de acordo com a mesma fonte do executivo.

Ler mais
Recomendadas

Acordo sobre mobilidade na CPLP será aprovado em julho em Cabo Verde

A data foi definida na V reunião dos ministros do Interior e da Administração Interna da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que terminou na cidade da Praia, capital de Cabo Verde, país que atualmente assume a presidência rotativa da instituição.

Cabo Verde Airlines e TAAG assinam acordo para voos Luanda-Sal

A parceria prevê que uma das companhias transporte passageiros da outra. Ou seja, se comprar um bilhete para um voo da Cabo Verde Airlines entre Luanda e Sal irá viajar num avião da transportadora aérea angolana.

CIN promete transformar Cabo Verde num país plataforma no Atlântico

Na tomada de posse dp gabinete de operacionalização deste Centro Internacional de Negócios, vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças cabo-verdiano, Olavo Correia, que considerou ser “obrigação” do governo criar novas oportunidades para os jovens.
Comentários