Cabo Verde quer mobilizar meio milhão de euros para setor privado

O governo cabo-verdiano pretende assinar um pacote de financiamento durante o Cabo Verde Investment Fórum, que se realiza no próximo mês de julho.

No ato publico de lançamento do Cabo Verde Investment Fórum (CVIF), o ministro das Finanças e vice-primeiro-ministro de Cabo Verde, Olavo Correia, assegurou que o governo quer assinar no decorrer do fórum – que se realiza na ilha do Sal entre 1, 2 e 3 de julho – um pacote de financiamento de, pelo menos, 500 milhões de euros para o setor privado.

“Este fórum é para concretizar negócio, a equipa que lidera o processo tem esta missão. Nós queremos assinar um pacote de 500 milhões de euros de financiamento, no mínimo, para termos sucesso neste fórum. Somo competentes, temos projetos bancáveis, será possível e se não for temos de saber porquê, mas nós acreditamos que é possível ter projetos financiado no montante de 500 milhões de euros”, disse Olavo Correia.

O governo de Cabo Verde propõem a realização anual do CVIF, como resultado do compromisso assumido de mobilizar financiamento para o setor privado na sequência do Fórum de Paris, realizado em dezembro do ano passado.

Segundo Emanuel Lima, presidente da Balsa de Valores, um dos parceiros deste fórum “é reconhecida a reduzida disponibilidade de capital em Cabo Verde por isso as parcerias com agentes externos bem como o financiamento direto internacional tiveram e deverá continuar a ter um papel fundamental não crescimento da nossa economia”.

Emanuel Lima referiu que estima-se em cerca de 2 mil milhões de euros as oportunidades de investimentos só em projetos puramente privados e já em busca de financiamento e que é preciso ainda contar com um potencial significativo no seguimento das Parcerias Públicas Privadas necessárias em setores estratégicos para o desenvolvimento, a cooperação regional a integração económica.

O Cabo Verde Investment Fórum poderá ser uma oportunidade para resolver, de acordo com o presidente da Câmara de Comércio Indústria e Serviços de Sotavento (CCISS), Jorge Spencer Lima. Este responsável acredita que parte dos problemas que os privados do país atravessam tem que ver com o acesso ao financiamento.

“Nós não podemos continuar a ter um mercado onde os bancos dizem ter excesso de liquides e há falta de acesso ao financiamento. Continuamos a ser confrontados com taxas elevadas de juro e excesso de liquidez, aparentemente contraditórios, que só acontecem num mercado pequeno como a Cabo Verde. É preciso encontrar soluções e não podemos continuar chorar sobre o leite derramado e não procurar saídas. Neste quadro o Cabo Verde Investment Fórum é uma das propostas de solução para resolver parte deste grande problema que tem a ver com o financiamento do setor privado.

O presidente da CCISS diz que o governo está no rumo certo e aponta a criação do Por- garante, da Pró-capital, o recente lançamento do eco sistema de financiamento, que já começa a dar frutos, e a discussão na Assembleia Nacional do Fundo Soberano que conta ”com o poio de 100% das Camaras de Comercio do setor privado”, para alguma medidas tomadas pelo executivo cabo-verdiano para colmatar o défice de acesso a financiamento.

Para Jorge Spencer Lima, neste momento, existe um programa de financiamento da economia que começa com as micro, PME e grandes empresas, na dimensão de Cabo Verde, “estamos a observar a existência de uma politica clara que está a ser executada pelo governo, mas temos de pensar que Roma não foi feita em só dia”, mas que estão ser tomadas medidas para fazer as coisas acontecerem.

O presidente da CCISS cita como exemplo o ranking do Doing Bisnes que coloca Cabo Verde no 122º lugar da classificação e a meta do governo de colocar o país na 50º posição, para afirmar que “estamos muito mal”. “Há um longo caminho a percorrer e a melhoraria do ecossistema de financiamento faz parte desta caminhada, assim como melhor os custos de fatores que são elevados, como são as casos das ligações marítimas e aéreas”, referiu Jorge Spencer Lima.

Ler mais
Relacionadas

Olavo Correia apela à melhoria dos esforços para tornar Cabo Verde mais eficiente

O vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças cabo-verdiano pretende que o país africano seja capaz de competir à escala global.

Cabo Verde ambiciona conquistar mais investidores nos próximos tempos

O ministro das Finanças afirma que a Administração Pública cabo-verdiana “tem de entender” que o seu papel é ser um elemento “facilitador e criador” de oportunidades.
Recomendadas

Cerimónia fúnebre de Dom Paulino Évora reúne centenas de pessoas na Praia

A ilha de Santiago disse adeus ao primeiro bispo de Cabo Verde. Dom Paulino Évora foi ordenado sacerdote em Portugal em 1962.

Jogos Africanos de Praia fazem de Cabo Verde destino desportivo

“Esta aposta vale a pena porque está dentro da estratégia de tornar Cabo Verde num país relevante no mundo de organizações de eventos desportivos”, disse o ministro do Desporto cabo-verdiano.

Empresas privadas com “expectativas enormes” sobre fórum de investimento em Cabo Verde

O Cabo Verde Investment Forum está agendado para os próximos dias 1, 2 e 3 de julho. “A questão do financiamento continua a ser um dos grandes desafios para o sector privado nacional”, disse o secretário-geral da Câmara de Comércio de Sotavento.
Comentários