Cabo Verde vai criar Fundo de Impacto para apoiar PME

No Programa do Governo cabo-verdiano, liderado por Ulisses Correia e Silva, prevê-se ainda avançar com a “Casa do Empreendedor”, enquanto “balcão único de apoio ao micro, pequeno e médio empresário.

Cabo Verde vai criar o denominado Fundo de Impacto, com 10 milhões de euros de financiamento internacional, para apoiar a recuperação das Pequenas e Médias Empresas (PME) afetadas pela pandemia de covid-19, prevê o Programa do Governo cabo-verdiano.

O documento, que começa a ser discutido em 16 de junho no parlamento e que obriga à votação de uma moção de confiança ao Governo, prevê que a implementação do Fundo de Impacto, “com um montante de 10 milhões de euros”, terá financiamento do Banco Mundial e da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), através do Hub de Comércio e Investimento da África Ocidental.

O fundo será “orientado para apoiar as PME na mitigação e recuperação dos efeitos da pandemia da covid-19”, explica o Programa do Governo.

Entre os compromissos do Governo para a legislatura consta ainda a consolidação do Fundo Soberano de Emergência, criado para financiar intervenções emergenciais e fazer face a catástrofes naturais, prevenção e/ou correção de situações de emergência, “incluindo emergências médicas e fiscalização económica e policial das águas territoriais nacionais”.

O mesmo acontecerá, prevê o Programa do Governo, com o recentemente criado Fundo Soberano de Garantia do Investimento Privado, que tem “como objetivo servir de garantia à emissão de dívida para investimento por parte de empresas cabo-verdianas e facilitar-lhes o acesso aos mercados de capitais internacionais”.

“O Fundo está sujeito à supervisão do Banco de Cabo Verde e obrigado a um rating das agências de notação financeira nunca inferior a ‘A'”, explica-se no documento.

“O Governo consolidará o Ecossistema de Financiamento da Economia para fomentar o empreendedorismo, o crescimento e o desenvolvimento de empresas abarcando as micro, pequenas, médias e grandes empresas, através da ProEmpresa com a missão de assistência técnica, orientação no acesso ao crédito, aconselhamento e seguimento de micro, pequenas e médias empresas”, lê-se ainda no documento.

No Programa do Governo, o executivo, que continua a ser liderado por Ulisses Correia e Silva, prevê ainda avançar com a “Casa do Empreendedor”, enquanto “balcão único de apoio ao micro, pequeno e médio empresário

Recomendadas

Empresária Tchizé dos Santos “triste” com fim do Vida TV e ambiciona novo canal no mercado português

O canal comunicou a decisão aos seus colaboradores de que vai fechar portas em 31 de julho, deixando no desemprego mais de 300 profissionais, na sequência da rescisão do contrato com a DSTv.

Cimeira da CPLP em Luanda vai realizar-se de forma presencial

Angola assumirá oficialmente a presidência da CPLP durante a cimeira de chefes de Estado e de Governo agendada para 16 e 17 de julho, em Luanda, sucedendo a Cabo Verde, que teve o seu mandato prolongado por mais um ano devido à pandemia da covid-19.

Instituições financeiras mundiais prometem 66 mil milhões para África até 2025

Além das DFI dos países do G7, também o BAD, o Banco Europeu para a Reconstrução e Desenvolvimento e o BEI fazem parte deste grupo de entidades financeiras cuja principal vocação é financiar projetos que conduzam ao desenvolvimento dos países onde são lançados.
Comentários