Câmara de Cascais interdita acesso ao paredão marítimo até fim do estado de emergência

A interdição do paredão marítimo de Cascais junta-se assim a outra medida já aplicada pelo município e que consiste no encerramento dos estacionamentos municipais junto às praias do concelho.

Carlos Carreiras deu conta de ter assinado um despacho que dita a interdição do acesso ao paredão marítimo de Cascais à população em geral. A medida anunciada esta quarta-feira, 25 de março, através da sua página no Facebook e foi tomada como parte do plano de combate ao surto do coronavírus, estando “em vigor enquanto vigorar o estado de emergência”. Interdição ao paredão impede igualmente o acesso às praias localizadas naquele perímetro.

No despacho assinado, o autarca lembra que “se torna imperativo o isolamento social para conter a transmissão do vírus, evitando o contacto próximo entre pessoas e a respetiva movimentação e circulação”, algo que no entender do município cascalense exige a tomada de “medidas excecionais” como esta.

A interdição surge depois de o paredão marítimo de Cascais continuar a ser o cenário escolhido por várias pessoas para os seus momentos de lazer e exercício físico ao ar livre, levando à aglomeração de pessoas naquela zona.

Todos os acessos ao paredão marítimo foram isolados, com a Polícia Municipal a colocar barreiras, nas quais alerta, em português e inglês de que “o acesso e circulação no passeio marítimo encontra-se interdito”.

A interdição do paredão marítimo de Cascais junta-se assim a outra medida já aplicada pelo município e que consiste no encerramento dos estacionamentos municipais junto às praias do concelho.

A medida do chefe do executivo cascalense insere-se no âmbito do pacote de medidas de prevenção e contenção do Covid19 no concelho.

Nesta terça-feira, 24 de março, também o município de Mafra anunciou que está encerrado o acesso às praias da concelhia, incluindo os parques de estacionamento confinantes.

Ler mais

Recomendadas

Vendas dos lojistas com quebras de 37% face a 2019. Em Lisboa, a redução é superior a 40%

Por sector de atividade, a restauração continua a ser o setor mais afetado, com a descida das vendas a registar 49,1%, o sector de retalho 34,3% e o sector de serviços 38,5%.

DBRS prevê deterioração dos ativos da banca portuguesa em 2021

A agência DBRS prevê uma deterioração “mais pronunciada” da qualidade dos ativos da banca portuguesa em 2021, dada a flexibilização das moratórias, dos empréstimos com garantia do Estado e de outros apoios públicos relacionados com a pandemia.

Espanha prepara apoio extraordinário a quem já esgotou subsídio de desemprego

O Governo e os parceiros sociais espanhóis negociam um subsídio especial de 430 euros para quem esgote os apoios a que tem direito, bem como uma nova fórmula de cálculo para trabalhadores em layoff de trabalhos part-time
Comentários