Campanha #plasticoamais da Deco já recebeu 1100 denúncias

O objetivo desta ação, que continua activa este ano, é sensibilizar os comerciantes e, até mesmo, os consumidores para a prática mais ambientalista, tendo por base a redução do uso de plásticos e embalagens.

A sustentabilidade ambiental é algo que o preocupa? Já conhece o nosso projeto #plasticoamais?

Em 2019 a DECO criou um projeto intitulado por #plasticoamais que pretende ser um meio de denúncia de artigos/produtos que estão à venda utilizando embalagens e/ou plástico excessivo.

O objetivo desta ação, que continua activa este ano, é sensibilizar os comerciantes e, até mesmo, os consumidores para a prática mais ambientalista, tendo por base a redução do uso de plásticos e embalagens.

O consumidor pode contribuir para o sucesso desta ação, denunciando, com através do envio de fotografias, artigos que considere que podem melhorar o seu embalamento. Pode fazê-lo enviando-nos um e-mail para #plasticoamais.

Desde o início deste projeto, a DECO recebeu por parte dos consumidores cerca de 1100 denúncias, provenientes de diversas localidades do país. As denúncias mais comuns prendem-se com alimentos frescos (legumes, frutas, padaria, carne e peixe), mercearia seca (chás, cápsulas de café, caixas de massas, embalagens de cereais, batatas, bolachas), embalagens de refeições take-away, lacticínios (tiras de plástico no queijo fatiado, invólucros em multi-embalagens de leite, manteigas com tampas triplas), higiene e cosmética (detergentes com embalagens grandes demais para o conteúdo, cápsulas embaladas individualmente, cosméticos com embalagens duplas (cartão e plástico) e, por fim, destacaríamos as encomendas (caixas excessivamente grandes para o seu conteúdo, excesso de plásticos a envolver os conteúdos). 

É possível referir que cerca de 90 empresas foram identificadas nesta ação. Assim, como processo de atuação, a DECO reuniu-se com 7 cadeias de super e hipermercados, com a TAP, a P&G e com o Ikea com o intuito de persuadi-las em relação as denúncias recebidas.

Foram solicitados esclarecimentos às empresas que comercializam ou produzem os produtos, dando conhecimento da resposta aos consumidores que efectuaram denúncias e, quando necessário, foram pedidos esclarecimentos adicionais junto das empresas.

Sempre que as empresas comunicam as alterações realizadas nos seus produtos, a DECO monitoriza a situação a fim de verificar se as alterações já são visíveis. Conseguimos, assim, reconhecer algumas empresas que alteraram a forma como embalam os artigos, nomeadamente:

Fruut – côco desidratado cuja embalagem era excessivamente grande para o conteúdo, sendo que a embalagem reduziu significativamente as suas dimensões.

As uvas embaladas em caixa de plástico e uvas já sem qualquer embalagem, vendidas a granel.

O Pão Bimbo Oroweat – tinha uma embalagem dupla, passou a ter uma embalagem única, reduzindo em 38% o plástico utilizado.

A própria Banana da Madeira embalada em saco de plástico – passou a ter apenas uma fita colante (não é perfeito, mas é melhor que o saco) com a designação banana da Madeira que permite distinguir das outras variedades.

Temos outros exemplos, estes são os mais significativos que destacamos por agora.

Seja um consumidor mais responsável e consciente em 2021. Participe na nossa iniciativa #plasticoamais.

Conte com o apoio da DECO MADEIRA através do número de telefone 968 800 489/291 146 520, do endereço eletrónico deco.madeira@deco.pt. Pode também marcar atendimento via Skype. Siga-nos nas redes sociais Facebook, Twitter, Instagram, Linkedin e Youtube!

Ler mais
Recomendadas

Deco alerta para “abusos” na cobrança da taxa de entrega de garrafas de gás

Pela segunda vez, em menos de um ano, o Governo volta a fixar preços máximos para o gás engarrafado, mas “há que ter atenção a abusos na cobrança da taxa de entrega”, alerta a Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (Deco). Associação revela que alguns distribuidores passaram a cobrar montantes superiores a quatro euros para entregar as garrafas em casa dos consumidores confinados.

Saiba que seguros deve contratar num crédito à habitação

Para além do seguro vida, existe ainda outro seguro exigido pelos bancos. Referimo-nos ao seguro multirrisco, que visa, sobretudo, contratar a proteção da casa. Este tipo de seguro apresenta cobertura contra incêndios e fenómenos sísmicos. Também neste caso, o consumidor pode contratar noutra instituição que não a do banco onde conseguiu o crédito habitação.

Supermercados impedidos de vender livros, roupa ou brinquedos a partir de hoje

Este tipo de produtos pode ser vendido através de comércio eletrónico com entrega ao domicílio, ou pelos estabelecimentos que mantenham as portas fechadas, mas que vendam ao postigo ou através de sistemas tipo ‘click and collect’. A CIP já veio a público criticar esta decisão por considerar que “vem causar maiores danos económicos às empresas portuguesas”.
Comentários