Canadianos estão a produzir canábis medicinal no concelho de Reguengos de Monsaraz

Neste novo local de cultivo no Alentejo, conhecido pela produção de vinho, serão realizados o crescimento, a colheita e a secagem de materiais de canábis medicinal. A plantação foi realizada com sucesso em julho e a colheita está prevista para o outono.

A Tilray, empresa canadiana, anunciou que alcançou um acordo para produzir canábis medicinal em Reguengos de Monsaraz, distrito de Évora.

O acordo prevê o arrendamento de um terreno de 20 hectares nesta herdade conhecida pela produção de vinho. Em Cantanhede, distrito de Coimbra, a Tilray detém cinco hectares de cultivo interior e exterior e 6.500 metros quadrados de área de produção, processamento e pesquisa.

A Tilray efetua pesquisa, cultivo, produção e distribuição de canábis medicinal, e inaugurou a sua unidade de produção em Cantanhede este ano.

“O Esporão fornecerá no local suporte operacional e técnico a uma equipa de especialistas da Tilray, incluindo horticultores, produtores e gestores de qualidade”, segundo a nota divulgada esta quarta-feira.

Neste novo local de cultivo serão realizados o crescimento, a colheita e a secagem de materiais de canábis medicinal que depois serão transportados para Cantanhede para processamento, produção e distribuição em toda a Europa e outros mercados internacionais. A plantação neste novo local de cultivo ao ar livre foi realizada com sucesso em julho e a colheita está prevista para o outono.

“Estamos orgulhosos por expandir a nossa capacidade de produzir produtos médicos de canábis de alta qualidade na Europa, usando métodos inovadores de cultivo ao ar livre”, disse Sascha Mielcarek, diretor da Tilray para a Europa, no comunicado.

A unidade de produção da Tilray em Portugal é uma unidade de produção multifacetada que inclui locais de cultivo no interior em estufa e ao ar livre, bem como laboratórios de controlo da qualidade, locais de processamento, embalamento e distribuição de canábis medicinal e produtos médicos derivados de canabinóides.

Em maio de 2019, a Tilray Portugal recebeu a sua licença de fabricação e certificação inicial de GMP, permitindo que a empresa fabricasse e exportasse canábis seca com certificação GMP como substância ativa para produtos médicos. Até hoje, a Tilray investiu aproximadamente 20 milhões de euros nestas instalações.

Relacionadas

Imperial Brands compra 20% da maior empresa de canábis do mundo

A fabricante dos cigarros Davidoff e Gauloises decidiu apostar no setor da canábis num negócio com a canadiana Auxly Cannabis Group avaliado em 80 milhões de euros.

Estado vai comparticipar primeiro medicamento à base de canábis

O medicamento deverá estar disponível no mercado português em setembro.

De Cantanhede para todo o território europeu. Gigante canadiana de canábis aposta na expansão

Localizada em Cantanhede, a Tilray anunciou esta sexta-feira que vai acelerar o crescimento mundial e reforçar a administração com cinco novos nomes.
Recomendadas

5G: Nowo já pediu estabelecimento de acordos de ‘roaming’

De acordo com o regulamento, os operadores vão ter de chegar a acordo entre eles e têm 45 dias para o fazer, caso tal não aconteça podem recorrer à Anacom para arbitrar o processo.

Grupo FNAC investe 300 mil euros e abre primeira loja de bem-estar e sustentabilidade em Portugal

A insígnia abrange aromaterapia, chás e infusões, entre outros. “Pretende inspirar a fazer essa mudança. Traz consigo o propósito de criar um mundo melhor, apelando a um modo de vida mais consciente, mais próximo da natureza, com foco no bem-estar e no respeito pelo planeta”, garante ao JE o diretor geral, Nuno Luz.

CEO da Apple assinou “acordo secreto” de 275 mil milhões de dólares com oficiais chineses para continuar a operar no país

Em 2016, os executivos da Apple ficaram alarmados com as ameaças do governo chinês contra recursos como Apple Pay, iCloud e App Store, o que levou Cook a realizar uma série de reuniões secretas com autoridades de Pequim.
Comentários