Capital da CV Telecom vai ser dispersado em 2020

O ministro das Finanças de Cabo Verde, Olavo Correia, anunciou esta sexta-feira na conferência da Lusa que em 2020 o capital da CV Telecom será dispersado em bolsa, através de convite a empresas estrangeiras.

O ministro das Finanças de Cabo Verde, Olavo Correia, anunciou hoje na conferência da Lusa que em 2020 o capital da CV Telecom será dispersado em bolsa, através de convite a empresas estrangeiras.

“No próximo ano seguramente teremos oportunidade de dispersar capital convidando privados com ‘know how’ para acelerar essa dinâmica de construção de um hub tecnológico, é preciso ‘players’ que apostem na inovação, com capital e conhecimento para sairmos do status quo e acompanhar essa dinâmica permanente do setor”, disse o ministro, quando questionado pelo moderador sobre a privatização da empresa de telecomunicações cabo-verdiana.

“Temos uma agenda forte a nível da regulação e 2020 será o ano em que daremos um passo importante sobre a atualização de todo o quadro legal existente e estaremos em condições de, com mais segurança, garantir que a privatização possa estar ao serviço de Cabo Verde e da criação de um hub tecnológico”, concluiu o ministro das Finanças durante o primeiro painel da conferência ‘Cabo Verde: Desafios do Futuro’, organizada pela agência Lusa na Praia, em Cabo Verde.

Recomendadas

Mais seis casos de Covid-19 em Cabo Verde aumentam total para 542

Dos novos casos, cinco são da ilha de São Vicente, que eleva o total para nove, e o outro foi diagnosticado em Santa Catarina de Santiago, que torna-se no oitavo município do país com casos confirmados da doença.

Número de mortos em África sobe para 4.902 em quase 177 mil casos

Nas últimas 24 horas África teve mais 6.971 infectados e mais 146 mortes.

Futuro de Cabo Verde exige “super governo e super banco central”, diz economista

“As políticas a serem adotadas serão decisivas a nível do futuro que teremos tanto na economia mundial como na economia nacional. Desde já, eu penso que é fundamental termos um plano de estabilização económica e social, que deverá cobrir quatro dimensões”, disse José Luís Neves, secretário-geral da Câmara de Comércio de Sotavento.
Comentários