Catalunha: Carga policial contra manifestantes que cortaram avenida em Madrid

A Polícia Nacional espanhola fez hoje uma carga contra centenas de manifestantes em Madrid, depois de estes terem cortado a avenida Gran Via, após uma marcha de 4.000 pessoas que pediram “amnistia para todos os presos políticos”.

Juan Medina/Reuters

As primeiras cargas, que continuam, aconteceram por volta das 19:30, quando várias centenas de pessoas tentaram cortar aquela avenida principal da capital espanhola.

Os movimentos de protesto começaram na segunda-feira, depois de ser conhecida a sentença contra os principais políticos catalães responsáveis pela tentativa de independência, em outubro de 2017.

Os juízes decidiram condenar nove deles a penas até 13 anos de prisão, por delitos de sedição e peculato.

Depois do anúncio da sentença, os independentistas fizeram cortes de estradas e de vias de caminho-de-ferro um pouco por toda a Catalunha.

 

Relacionadas

Milhares de independentistas no centro de Barcelona em concentração pacífica

Milhares de independentistas continuam ao início da noite no centro de Barcelona, apesar de a concentração já ter sido desconvocada, num ambiente de certa tensão, no dia seguinte de confrontos violentes com a polícia.

Carles Puigdemont: “É hora de reconhecer o problema e fazer política”

“Concordo com o apelo [de hoje feito pelo atual chefe da Generalitat, Quim Torra] ao governo espanhol para que assuma sua responsabilidade e retorne à mesa de negociações”, escreveu o ex-chefe da Generalitat na sua conta Twitter.

Líder da Generalitat pede reunião com Pedro Sánchez para solução política na Catalunha

Ainda não houve qualquer diálogo entre Quim Torra e o primeiro-ministro em funções sobre a Catalunha desde o início dos protestos.
Recomendadas

Estados Unidos deixam de considerar ilegais colonatos israelitas na Cisjordânia

Bairros não são por si inconsistentes com o direito internacional, diz Pompeo – no que contrasta com parte do resto do mundo. A hipótese de dois Estados fica mais longe.

Londres destrói um milhão de moedas comemorativas do Brexit

As moedas cunhadas para marcar o divórcio entre o Reino Unido e a União Europeia, que estava agendado para 31 de outubro, estão a ser derretidas porque Boris Johnson falhou o prazo. O custo da produção e destruição das moedas será suportado pelos contribuintes britânicos.

“Incorreto e inapropriado”. Assessor da Casa Branca critica telefonema de Trump ao homólogo ucraniano

Alexander Vindman, especialista sobre a Ucrânia do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, disse hoje que ficou “preocupado” enquanto tirava notas do telefonema entre Donald Trump e Zelensky, em 25 de julho – a chamada que está no centro do inquérito para a destituição do Presidente dos EUA, em que Trump é acusado de ter tentando pressionar o homólogo ucraniano a investigar Joe Biden, rival político do líder norte-americano.
Comentários