Direito e Gestão. Católica Porto tem dupla licenciatura única no país

Depois de cinco anos chegaram ao mercado os primeiros estudantes a obter simultaneamente duas licenciaturas – em Direito e Gestão.

Benedita Sousa Otto e Sofia Magalhães fazem parte da primeira fornada de licenciados com a Dupla Licenciatura em Direito e em Gestão, um programa que resulta da parceria entre duas escolas de referência da Católica Porto: a Escola de Direito e a Faculdade de Economia e Gestão.

Com o curso terminado em 2020, Benedita rapidamente iniciou a sua vida profissional numa start-up, onde deu apoio em questões legais. No início deste ano começou a trabalhar na área de consultoria fiscal como International Tax Analyst na Deloitte, em Lisboa. Já Sofia Magalhães iniciou o percurso profissional mal se licenciou, como advogada estagiária, na Uria Menendez-Proença de Carvalho, em Lisboa. Após cinco anos de estudo, mais de uma dezena de jovens concluiu em 2020 a experiência académica num programa único. São os primeiros no país a obter simultaneamente duas licenciaturas, em Direito e Gestão.

“Os primeiros licenciados em Gestão e em Direito integraram-se muito bem no mercado de trabalho”, dizem ao JE Agostinho Guedes, da Escola do Porto da Faculdade de Direito, e Ana Lourenço, da Católica Porto Business School, coordenadores da Dupla Licenciatura.“Alguns alunos estão a realizar o estágio de advocacia, tendo sido recrutados por sociedades de advogados de topo. Outros estão a trabalhar na área de fiscalidade internacional em empresas multinacionais de consultoria. Há também dois alunos que prosseguiram para mestrado em áreas de especialização, como o Direito da Economia Digital”.

A Dupla Licenciatura permite ao licenciado em Direito adquirir visão de negócio e sensibilidade para o mundo organizacional, potenciando a sua capacidade para trabalhar em equipas multidisciplinares, em que são exigidos “o conhecimento, a sensibilidade e a articulação das duas áreas”. Já o licenciado em Gestão é preparado para “o domínio dos quadros e instrumentos jurídicos fundamentais” e para “a natureza interdisciplinar dos desafios” das organizações.

Estas licenciaturas foram acreditadas pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior em 2016 e 2015. Os coordenadores admitem que as expectativas eram altas, mas acabaram ultrapassadas. “Os alunos são muito dedicados e entusiasmados, investem muito no seu percurso académico, ganham mundo com as experiências Erasmus”. O mercado reconhece.

Recomendadas

Abandono no ensino superior aumentou em 2019/20 contrariando tendência anterior

Das licenciaturas aos mestrados integrados, incluindo também os cursos técnicos superiores profissionais (CTeSP), a percentagem de estudantes que já não estavam no sistema de ensino superior um ano após iniciarem o curso aumentou ligeiramente e de forma transversal no ano letivo 2019/2020, em instituições públicas e privadas.

NOS tem 30 vagas para estágios remunerados nas áreas de tecnologia e gestão

O programa terá a duração de um ano com data prevista de arranque já em outro. O NOS Alfa regista uma taxa de conversão positiva de cerca de 80% e é uma fonte de contratação com um peso significativo na NOS, diz a operadora.

Tribunal de Contas: “A autorização para a aquisição de meios digitais para as escolas foi tardia”

Uma auditoria do Tribunal de Contas critica a decisão política tardia para a aquisição de 386 milhões de euros em meios digitais. Aconteceu “no final do ano letivo 2019/20, e condicionada à aprovação de fundos comunitários”. Consequência? “Os meios só começaram a chegar aos alunos no ano letivo 2020/21”.
Comentários