CDS/Congresso: Carlos Meira quer combater “ditadura do gosto” imposta pela esquerda

O candidato à liderança do CDS-PP Carlos Meira afirmou hoje que quer deixar “a comodidade do sofá” e ir para a rua combater o que considerou ser “a nova ditadura do gosto”, imposta e “financiada por uma certa esquerda”. “Tal como entrei neste congresso, solto e livre, autêntico e combativo desafio-vos a todos, e cá […]

O candidato à liderança do CDS-PP Carlos Meira afirmou hoje que quer deixar “a comodidade do sofá” e ir para a rua combater o que considerou ser “a nova ditadura do gosto”, imposta e “financiada por uma certa esquerda”.

“Tal como entrei neste congresso, solto e livre, autêntico e combativo desafio-vos a todos, e cá estarei para dar o exemplo, a sairmos da comodidade do sofá, do conforto das nossas salas e voltarmos à rua, sim à rua, e sem tréguas”, disse o candidato à sucessão da atual líder, Assunção Cristas.

O antigo líder da concelhia de Viana do Castelo disse ao congresso que o seu objetivo passa por combater “a nova ditadura do gosto”.

“Uma ditadura do gosto apoiada, suportada e financiada por uma certa esquerda que nos quer impor limites à nossa forma de viver, barreiras à nossa forma de educar, leis e mais leis à nossa forma de estar”, vincou.

O centrista assegurou aos congressistas que, caso seja eleito o próximo presidente do CDS, podem contar consigo “para esse debate”.

O 28.º Congresso do CDS-PP arrancou hoje e termina no domingo, em Aveiro. Além de Carlos Meira são também candidatos à presidência do CDS João Almeida, Francisco Rodrigues dos Santos, Abel Matos Santos e Filipe Lobo d’Ávila.

Na intervenção de apresentação da sua moção, intitulada “Pelo futuro, por Portugal”, Carlos Meira considerou que “o CDS bateu no fundo, e com muito estrondo”, e apontou que “negar este facto e evidência não é querer bem ao CDS”.

“Negar o desperdício, as avenças, as subvenções, as negociatas ruinosas praticadas pelo CDS e no CDS é tapar o sol com a peneira, negar a realidade escura que hoje se vive e vivemos no CDS em nada ajuda e contribui para haver uma vida nova e nova vida do CDS”, criticou.

Por isso, o centrista assinalou que se apresenta a este congresso “também para ajudar a levantar, a novamente erguer o CDS”.

Porém, para o partido se erguer, “precisa de clarificar, de mudar, de mudar muito e de mudar a sério para recuperar o mais possível a sua credibilidade, de mudar muito para o CDS se reencontrar, de mudar muito para o CDS ter esperança na sua indispensável utilidade”, elencou.

Lá fora espera-nos “um povo que está desconfiado de nós”, advogou.

“Este congresso, num dos seus tempos mais difíceis, não é congresso para passar cheques em branco”, vincou Carlos Meira, desafiando os primeiros subscritores de todas as moções de estratégia global que vão a votos, a “dizer preto no branco aos congressistas quem são os primeiros vice-presidentes das suas listas e devem dizer quem são os secretários gerais que irão propor” antes da abertura das urnas de voto, “para que não haja hesitações, dúvidas ou equívocos”.

No final da apresentação, o candidato, de 34 anos, agradeceu aos militantes mais velhos, que trouxeram “mais oportunidades” à sua geração e deixou uma “palavra de certeza e de ânimo” aos mais jovens, e instou-os “lutarem pela liberdade e pela democracia”.

Ler mais
Relacionadas

Francisco Rodrigues dos Santos: “Quando o combate aperta até fascistas somos todos”

O candidato à liderança do CDS-PP Francisco Rodrigues dos Santos arrancou este sábado, no 28.º congresso, em Aveiro, a maior ovação dos delegados, com um discurso enérgico, em defesa de um “partido popular interclassista” e apontando o dedo aos “adversários lá fora”.

CDS/Congresso: Telmo Correia declara apoio à candidatura de João Almeida à liderança do partido

O deputado Telmo Correia anunciou hoje que vai apoiar o candidato João Almeida na corrida à liderança do CDS-PP, apontando que o colega de bancada “está preparado” e tem condições para agregar “todo o partido”.
assunção_cristas_cds_legislativas_1

“Falhei o resultado”. Assunção Cristas despede-se da liderança do CDS-PP

Nas últimas eleições legislativas, o CDS-PP viu o número de deputados na Assembleia da República diminuir de 18 para apenas cinco, um tombo ilustrado por apenas 4,2% dos votos em 6 de outubro. A performance eleitoral ditou a saída de Cristas da presidência dos democratas-cristãos.
Recomendadas

Costa diz que episódio do Novo Banco minou credibilidade do PSD

O primeiro-ministro criticou também o BE, por ter chumbado o Orçamento do Estado, referindo que esse chumbo foi oportunístico e diz que os bloquistas desertaram.

João Ferreira: “Marcelo sujeitou os jovens a uma vulnerabilidade acrescida”

Nos últimos anos, a ação de Marcelo sujeitou os jovens a uma vulnerabilidade acrescida, por exemplo alargando o período experimental. Os Governos não têm governado de acordo com a Constituição”, considerou o atual eurodeputado em entrevista à TVI.
ana_catarina_mendes_ps

PS propõe “medidas de estímulo positivas” para travar desequilibro de género agravado pela Covid-19

O grupo parlamentar socialista considera que é preciso promovam o equilíbrio de género no recurso ao teletrabalho e atrair mulheres para os setores do digital e da energia, para que “não ficarem para trás no processo de transição digital e verde”.
Comentários