CDS-PP avança que cenário macroeconómico do OE 2020 é “condizente” com esboço apresentado a Bruxelas

Os democratas-cristãos mostraram “ceticismo” em relação ao linhas gerais apresentadas pelo Governo e definiram o desagravamento da carga fiscal, investimento da saúde e fim das injeções de capital do Fundo de Resolução como prioridades.

Mário Cruz/Lusa

O CDS-PP adiantou esta terça-feira que o cenário macroeconómico da proposta do Orçamento do Estado para 2020 (OE 2020) é “condizente” com esboço apresentado a Bruxelas. Os democratas-cristãos mostraram “ceticismo” em relação ao linhas gerais apresentadas pelo Governo e definiram o desagravamento da carga fiscal, investimento da saúde e fim das injeções de capital do Fundo de Resolução como prioridades.

“Aquilo que nos foi transmitido é que este cenário é condizente com o cenário que já anteriormente nos tinha sido apresentado e que foi reportado a Bruxelas”, afirmou a líder parlamentar do CDS-PP, Cecília Meireles, após conhecer as linhas gerais da proposta do OE 2020, apresentadas pelo ministro das Finanças, Mário Centeno, e o secretário de Estado para os Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro.

Quer isso dizer que a proposta de OE 2020 que o Governo deve dar entrada na Assembleia da República na próxima segunda-feira, dia 16, não deve ficar longe do esboço orçamental enviado pelo Governo à Comissão Europeia. O esboço previa um défice de 0,1% este ano e défice zero em 2020 e um crescimento da economia portuguesa para 2% no próximo ano, mantendo-se o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano nos 1,9%.

Cecília Meireles disse ainda que transmitiu ao Governo a preocupação do CDS-PP com o desagravamento da carga fiscal, que de acordo com o partido deve ser uma prioridade a incluir no próximo OE.

“Para nós, era muito importante que pudesse haver um desagravamento da carga fiscal, designadamente para a classe média. Não obtivemos essa garantia nesta reunião. A nossa preocupação entre o equilíbrio que é preciso fazer, com responsabilidade, nas contas públicas e no funcionamento dos serviços públicos”, referiu Cecília Meireles.

Também a Saúde mereceu a atenção do partido nesta reunião, bem como o fim das injeções de capital do Fundo de Resolução. Cecília Meireles sublinha que “é preciso limpar os erros cometidos no passado no sistema bancário” e que essa é uma preocupação do CDS-PP “quer do ponto de vista da justiça, quer sobretudo do que isso ainda pesa no bolso dos portugueses”.

“Contas públicas equilibradas é um desígnio nacional. O CDS nunca o pôs em causa, antes pelo contrário. Fez até parte de um Governo que fez o maior esforço acompanhados dos portugueses nesse sentido”, reiterou.

Ler mais
Relacionadas

OE2020: “Falta de convergência resulta exclusivamente das posições do Governo”, diz PCP

Os comunistas dizem que aprovaram o documento na generalidade se “haver algum conteúdo concreto que justifique esse voto a favor”, mas notam que persistem divergências em relação à utilização dos meios orçamentais.

BE diz que linhas gerais do OE 2020 ficam “aquém das necessidades do país”

A delegação bloquista que esteve reunida com o Governo diz que não chegou a qualquer consenso com o Governo e que a continuidade da reposição de rendimentos, a garantia de direitos e a diminuição dos impostos sobre bens de primeira necessidade devem ser prioridades.

OE 2020: PSD diz que reunião com Governo foi “muito curta” e prefere aguardar por “medidas concretas”

À saída da reunião com o Governo, a delegação social-democrata afirmou que a reunião foi “muito curta” e que o partido vai aguardar por “medidas mais concretas” para poder avaliar o documento e tomar uma decisão sobre o sentido de voto.

OE2020: Centeno apresenta aos partidos parlamentares linhas gerais da proposta do Governo

O ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno, apresenta hoje, na Assembleia da República, as linhas gerais da proposta do Governo de Orçamento do Estado para 2020 aos partidos com representação parlamentar.
Recomendadas

André Ventura pede a demissão de Eduardo Cabrita por palavras “gravíssimas”

Para o deputado único do partido recém chegado ao parlamento, as declarações de Eduardo Cabrita foram “gravíssimas e desprovidas de sentido” e recordou que, “num primeiro momento”, o Governo chegou a “negar a veracidade” daquilo que tinha sido referido por André Ventura, ou seja, a aquisição de material de segurança por parte das forças policiais.

Só “por algum ato milagroso” relações serão retomadas entre Livre e Joacine, realça nova direção do partido

“Se por algum ato milagroso houver uma mudança de atitude por parte da deputada Joacine Katar Moreira obviamente que trabalharemos” com a única representante do partido no parlamento, afirmou Pedro Mendonça, em declarações aos jornalistas no final do IX Congresso do Livre.

“Desfaçatez e falta de respeito”. PSD repudia declarações de Eduardo Cabrita sobre equipamento da PSP

Em causa estão declarações do ministro numa entrevista hoje divulgada ao Diário de Notícias e à TSF, na qual Eduardo Cabrita é questionado sobre as notícias que dão conta de agentes policiais “que compram equipamento de proteção do seu próprio bolso”.
Comentários