CDS-PP reivindica plano regional para aproveitamento de recursos hídricos da Madeira

O líder do CDS-PP Madeira afirmou que a água nunca foi uma preocupação para os executivos madeirenses. Rui Barreto diz que as falhas no abastecimento de água e a falta de água de rega é explicada pela “falta de investimento” nos canais e reservatórios de água.

A água, o ambiente e a sustentabilidade, são identificados como prioritários no programa de Governo do CDS-PP para a Madeira. Os centristas reivindicam a existência de um plano regional para aproveitamento dos recursos hídricos.

“Temos uma ilha com muita abundância de água, mas também uma ilha com muito desperdício de água”, afirmou Rui Barreto, líder do CDS-PP Madeira.

O centrista visitou as Eiras, no Caniço, onde referiu que existem “falhas no abastecimento de água” pelo menos uma vez por semana.

“Mas em várias freguesias e concelhos da nossa ilha, há, recorrentemente, falta de água de rega”, reforçou Rui Barreto.

O centrista diz que esta falta de água é explica pela “falta de investimento nos canais” e reservatórios de água.

“Precisamos de um Plano Regional para Aproveitamento da Água. Este concelho de Santa Cruz tem 72% de perdas de água na rede pública”, denunciou.

Rui Barreto salientou que a água “nunca foi uma preocupação” para quem tem governado a Madeira, mas é um assunto que é prioritário para o CDS-PP.

“Sei de empresários que querem investir na agricultura e só não o fazem porque temem não ter aquilo que é mais elementar, que é a água”, disse Rui Barreto.

Ler mais
Recomendadas

Aquicultura na Madeira? Bluegrowth defende mais informação e articulação com o turismo

A Bluegrowth, consultora tecnológica portuguesa especializada na Economia do Mar, arrancou já com a primeira instalação piloto do projecto Ground Zero na produção de douradas da Marismar, situada no Concelho da Calheta na Ilha da Madeira.

Maioria dos consumidores “digitais” não abdica de visitar uma loja física para ver o artigo

Os jovens consumidores portugueses, geração entre os 18 e os 34 anos, gostam de procurar os produtos online, mas depois compram-nos na loja física. Apesar de preferirem mais as compras em lojas físicas do que os seus pares europeus, os millennials portugueses são os que mais referem interagir com os retalhistas nas redes sociais.

Madeira espera agitação marítima até quinta-feira

O aviso abrange a costa norte e o Porto Santo.
Comentários