CDS propõe 20 novas estações de metro em Lisboa

Ou há ambição ou os problemas de mobilidade não se vão resolver, defendeu Assunção Cristas.

Cristina Bernardo

Assunção Cristas avançou no Parlamento que o CDS vai propor a construção de “20 novas estações de metro” em Lisboa. “É uma semana especial, uma semana de visita papal e eu quero ser especialmente construtiva”, começou por dizer a líder do CDS.

“Ou há rasgo, horizonte e ambição para o Metro de Lisboa ou os problemas da cidade de Lisboa não se vão resolver”, disse a líder do CDS no debate quinzenal. Assunção Cristas considerou que duas estações não chegam para resolver o problema da mobilidade na cidade e propôs alargar a rede do metro “para Belém, mas também para Loures”.

Na resposta, o primeiro-ministro, António Costa, ironizou: “Não achei muito leal aproveitar a ausência da senhora deputada Teresa Leal Coelho para este momento”, disse. A deputada do PSD, tal como a líder do CDS, é candidata à Câmara de Lisboa nas próximas eleições autárquicas.

António Costa sublinhou ainda que durante o mandato de Assunção Cristas no Governo, o metro perdeu “100 milhões de utentes”.

Relacionadas

Estação de metro de Arroios encerra até 2019

Obras, previstas terminar em janeiro, tem um custo previsto de mais de sete milhões de euros.

Expansão do metro com obras em 2019

Está previsto um investimento de cerca de 216 milhões de euros neste empreendimento, sendo a maioria financiada com recursos a empréstimos ao BEI.

Veja aqui como será o metro de Lisboa em 2022

Duas novas estações e uma linha circular. Conheça os planos de expansão do metro de Lisboa, apresentados esta segunda-feira.
Recomendadas

“Queremos comida”, gritam centenas na cidade da Beira após ciclone que atingiu Moçambique

O Idai, com fortes chuvas e ventos de até 170 quilómetros por hora, atingiu a Beira (centro de Moçambique) na quinta-feira à noite, deixando os cerca de 500 mil residentes na quarta maior cidade do país até hoje sem energia.

Presidente executivo do Novo Banco é ouvido hoje no Parlamento

O presidente executivo do Novo Banco é hoje ouvido na Assembleia de República, na Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa, no âmbito do requerimento apresentado pelo grupo parlamentar do PSD.

Reforma da supervisão financeira: Banco de Portugal diz que causas de exoneração previstas “constituem um limite à independência”

O Banco de Portugal defende que os “membros do conselho de administração devem ser inamovíveis, como garantia contra influências externas sobre a sua capacidade de tomada de decisão”. O supervisor destaca que a “introdução de eventuais especificidades nacionais” na reforma da supervisão financeira “causa dúvidas interpretativas e de aplicação”, argumenta o Banco de Portugal, apontando que a “previsão expressa de causas de exoneração (…) vai ao arrepio da linha que tem sido seguida pelo BCE”.
Comentários