CDS propõe 20 novas estações de metro em Lisboa

Ou há ambição ou os problemas de mobilidade não se vão resolver, defendeu Assunção Cristas.

Cristina Bernardo

Assunção Cristas avançou no Parlamento que o CDS vai propor a construção de “20 novas estações de metro” em Lisboa. “É uma semana especial, uma semana de visita papal e eu quero ser especialmente construtiva”, começou por dizer a líder do CDS.

“Ou há rasgo, horizonte e ambição para o Metro de Lisboa ou os problemas da cidade de Lisboa não se vão resolver”, disse a líder do CDS no debate quinzenal. Assunção Cristas considerou que duas estações não chegam para resolver o problema da mobilidade na cidade e propôs alargar a rede do metro “para Belém, mas também para Loures”.

Na resposta, o primeiro-ministro, António Costa, ironizou: “Não achei muito leal aproveitar a ausência da senhora deputada Teresa Leal Coelho para este momento”, disse. A deputada do PSD, tal como a líder do CDS, é candidata à Câmara de Lisboa nas próximas eleições autárquicas.

António Costa sublinhou ainda que durante o mandato de Assunção Cristas no Governo, o metro perdeu “100 milhões de utentes”.

Relacionadas

Estação de metro de Arroios encerra até 2019

Obras, previstas terminar em janeiro, tem um custo previsto de mais de sete milhões de euros.

Expansão do metro com obras em 2019

Está previsto um investimento de cerca de 216 milhões de euros neste empreendimento, sendo a maioria financiada com recursos a empréstimos ao BEI.

Veja aqui como será o metro de Lisboa em 2022

Duas novas estações e uma linha circular. Conheça os planos de expansão do metro de Lisboa, apresentados esta segunda-feira.
Recomendadas

Governo já enviou para Bruxelas esboço do Orçamento, mas só divulga na quarta-feira

Portugal já enviou para a Comissão Europeia o esboço do Orçamento do Estado para 2020, apurou o Jornal Económico junto de fonte governamental. No entanto, o documento apenas será divulgado esta quarta-feira de manhã no portal do Governo.

Conselho Económico e Social aponta desvio de 2 mil milhões no investimento público entre 2016 e 2018

A conclusão integra o projeto de parecer do Conselho Económico e Social (CES) sobre a Conta Geral do Estado (CGE) relativa a 2018 a que a Lusa teve hoje acesso.

CGA perdeu quase 32 mil subscritores nos últimos três anos, diz UTAO

A redução do número de subscritores, que em agosto totalizavam 435.837, “é natural”, explica a UTAO, pois a CGA é um sistema fechado a novas inscrições desde 2006, altura em que os novos trabalhadores da administração pública passaram a inscrever-se no regime da Segurança Social.
Comentários